Vitamina D melhora flora intestinal e síndrome metabólicaNotícias de Saúde

Segunda, 26 de Dezembro de 2016 | 384 Visualizações

Fonte de imagem: Huffingtonpost

Já há muito que se sabe que a adoção de uma dieta rica em gorduras pode desencadear a síndrome metabólica, um grupo de sintomas que estão associados ao risco de desenvolvimento da diabetes e da doença cardíaca. Contudo, um estudo publicado na revista “Frontiers in Physiology” descobriu que a deficiência na vitamina D é necessária para que esta síndrome progrida nos ratinhos. 

A síndrome metabólica afeta quase um quarto da população adulta em todo o mundo, a qual é definida por um grupo de fatores de risco que podem conduzir ao desenvolvimento da diabetes e doenças cardíacas. Os sintomas característicos desta síndrome incluem obesidade abdominal e pelo menos dois dos seguintes parâmetros: níveis elevados de glucose no sangue, pressão arterial aumentada ou níveis de colesterol elevados. Os indivíduos afetados pela síndrome metabólica têm geralmente excesso de gordura no fígado.

A principal causa da síndrome metabólica parece estar associada à adoção de uma dieta rica em gordura ou hidratos de carbono. No entanto, estudos observacionais têm associado a síndrome metabólica à deficiência de vitamina D, que afeta 30 a 60% da população mundial.

Neste estudo, os investigadores do Centro Médico Cedars-Sinai, nos EUA, em colaboração com os cientistas da Universidade de Sichuan, na China, verificaram que a ingestão apropriada de vitamina D pode antagonizar significativamente a síndrome metabólica causada pela dieta rica em gordura nos ratinhos. Estas quantidades são equivalentes às recomendações dietéticas nos humanos.

O estudo, liderado por Yuan-Ping Han, apurou mais especificamente que uma dieta rica em gordura provoca um desequilíbrio entre as bactérias benéficas e prejudicais no intestino. Como consequência há um aumento de gordura no fígado e também um ligeiro aumento dos níveis de glucose no sangue.

No entanto, um fornecimento insuficiente de vitamina D agrava o desequilíbrio da flora intestinal, contribuindo para o fígado gordo e síndrome metabólica. De acordo com os cientistas, a deficiência de vitamina D diminui a produção de defensinas, moléculas antimicrobianas essenciais para manter a flora intestinal saudável. Desta forma, a ingestão oral de uma defensina sintética equilibra as bactérias intestinais, diminui os níveis de glucose no sangue e melhora o fígado gordo.

O estudo conclui assim que a dieta por si só não é suficiente para causar a síndrome metabólica, é também necessário haver níveis insuficientes de vitamina D. Desta forma, a adição de suplementos desta vitamina melhora a síndrome metabólica em ratinhos. 

Os investigadores do Centro Médico Cedars-Sinai, nos EUA, em colaboração com os cientistas da Universidade de Sichuan, na China, defendem que caso estes achados sejam validados nos humanos, a manutenção de níveis elevados de vitamina D, através da toma de suplementos, dieta ou exposição solar, pode melhorar ou até impedir o desenvolvimento da síndrome metabólica.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na revista “Frontiers in Physiology”

Notícias Relacionadas