Tudo o que precisa de saber sobre o AVCNotícias de Saúde

Sábado, 02 de Abril de 2016 | 196 Visualizações

Fonte de imagem: clinicavazmed

Em caso de AVC, responder rapidamente a esta situação é essencial para tentar reduzir ao máximo os danos no paciente. Como o AVC consiste no corte do fornecimento de sangue e oxigénio para o cérebro, devido à obstrução de uma artéria cerebral, voltar a repor o acesso ao cérebro é imperativo para que o AVC não seja fatal.

Mas, apesar de terem de ser essencialmente os médico a agir, há algumas coisas que pode fazer no caso de presenciar um AVC.

Sabia que existem dois tipos de AVC?

Cerca de 85% dos casos de AVC ocorrem depois de um bloqueio da irrigação sanguínea devido à obstrução de uma artéria cerebral. A este chama-se AVC isquémico, e pode dever-se a um coágulo na artéria cerebral ou a uma embolia.

Mas, pode ainda ocorrer um AVC hemorrágico, provocado pelo rompimento de uma artéria que origina uma hemorragia – aneurisma. Sendo que o sintoma mais evidente deste AVC é uma dor de cabeça horrível.

Reconhece os sintomas de AVC?

Deve tentar perceber se algum lado do rosto descaiu. Peça ao paciente para sorrir para que possa verificar (em caso de AVC o lado afetado não será capaz de levantar o sorriso como o outro).

Peça ao doente para manter os braços levantados, depois tente fazer pressão sobre os braços da pessoa para ver se ela oferece algum tipo de resistência. Em alguns casos de AVC a pessoa até consegue levantar os braços mas assim que faz pressão sobre eles, caíram sem oferecer resistência.

Esteja atento ao discurso. Repare se o paciente está a ter dificuldades em falar, atropela as palavras ou enrola as letras. Peça-lhe para dizer o nome ou para dizer uma frase.

Outros sintomas podem incluir confusão, dificuldade em perceber o que lhe dizem, alteração da visão, náuseas, dificuldade em andar, perda de equilíbrio e de coordenação.

Se acha que alguém está a ter um AVC e se confirma alguns destes sinais deve ligar imediatamente para o 112. Nesta chamada é importante saber há quanto tempo é que os sintomas começaram, o historial médico do paciente (se já teve um AVC antes, se sofre de hipertensão ou doença arterial, etc.) bem como saber os medicamentos que toma (aspirina, anticoagulantes, etc.).

Deve manter a pessoa acordada e a falar até que a ajuda médica. 

Partilhar esta notícia
Referência

Notícias Relacionadas

Info-Saúde Relacionados