Teste fecal não invasivo é eficaz no rastreio do cancro colorretalNotícias de Saúde

Quinta, 28 de Fevereiro de 2019 | 23 Visualizações

Fonte de imagem: UCLA Health

A realização de um teste anual para deteção de sangue oculto nas fezes constitui uma alternativa segura e não-invasiva à colonoscopia no rastreio do cancro colorretal, indicou um estudo.
 
Conduzido por uma equipa de investigadores da Faculdade de Medicina da Universidade de Indiana e do Instituto Regenstrief, ambos nos EUA, o estudo contemplou a análise sistemática e meta-análise de 31 estudos sobre testes imunoquímicos fecais (TIF) que incluíam 120.255 participantes.
 
Todos os participantes nos estudos tinham efetuado um TIF, um exame que deteta a presença de sangue oculto nas fezes. 
 
Os resultados dos TIF foram comparados aos resultados de colonoscopias subsequentes, efetuadas por todos os participantes. 
 
Os investigadores descobriram que aproximadamente um terço dos participantes com resultados positivos nos TIF apresentavam pólipos pré-cancerígenos avançados ou mesmo cancro colorretal.
 
“A nossa análise indica que o TIF é um bom exame de ‘pré-rastreio’ para os adultos com risco médio e assintomático, poupando-lhes aborrecimentos e custos ao sistema de saúde dos EUA”, comentou Thomas Imperiale, investigador que liderou o estudo. 
 
“Se os resultados do TIF anual se mantiverem negativos, o TIF faz atrasar o momento em que é necessária uma colonoscopia, e pode dar-se o caso em que uma colonoscopia para o rastreio possa não chegar a ser necessária ou requerida”, apontou o investigador.
 
Segundo ainda Thomas Imperiale, o potencial do TIF reside no facto de ser aplicado repetidamente e de, em muitos casos, oferecer resultados negativos sucessivamente. 

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na revista “Annals of Internal Medicine”

Notícias Relacionadas