Tem má memória ?Descubra porquêNotícias de Saúde

Terça, 08 de Abril de 2014 | 198 Visualizações

Ao contrário do que possa pensar, a memória fraca nem sempre ocorre durante a velhice. Se tem entre os 16 e os 60 anos se e depara com este problema, fique a conhecer as razões mais comuns. 

Esqueceu-se das chaves do carro, em casa, pela centésima vez? Raramente se lembra do que comeu ontem ao jantar? Perdeu novamente a receita do médico?

Aqui estão algumas das causas típicas da perda de memória, que pode também levar à redução das funções cognitivas.

Depressão

Quando estamos deprimidos é difícil concentrar e lembrar, devido ao excesso de preocupação com os sentimentos negativos. Infelizmente, ninguém está isento da depressão, e isso pode ocorrer mesmo com as crianças, que são frequentemente expostas a situações de stress.

Às emoções negativas, incluindo raiva, medo e ansiedade, também se pode adicionar o esquecimento e a dificuldade de concentração.

Confusão Mental

A maioria das pessoas tem o hábito de fazer muitas coisas ao mesmo tempo, na esperança de as fazer o mais rápido possível. Enquanto isto pode parecer uma atividade desafiante para alguns, pode levar à confusão mental e ao stress, para outros. Com a mente confusa, a falta de memória tende a surgir, e a única forma de resolver isto é aprender a concentrar numa coisa de cada vez. Se o seu cérebro não consegue lidar com tanta coisa de uma só vez, pois significa exposição a mais ideias, e leva à 'poluição mental'. Quando isso ocorre, a perda de memória acontecesse devido ao stress mental.

Incapacidade de expressar emoções verdadeiras

Há quem treine para esconder os seus verdadeiros sentimentos por medo, vergonha ou orgulho. Tendem a negligenciar o aspeto emocional da vida, para não ter contacto com sentimentos e pensamentos pessoais. Embora esta prática ajude as pessoas a ter um bom desempenho profissional/escolar, também pode causar graves inconvenientes para a memória.

O cérebro é composto de duas partes. A parte esquerda encarrega-se da lógica, enquanto a direita facilita funções artísticas e emocionais. Quando se usa os dois lados do cérebro regularmente, estes são capazes de obter um consenso de equilíbrio, na forma como pensam. Isto significa que uma memória forte é sinónimo de fortalecer os dois hemisférios do cérebro. Por isso, o ideal é desenvolver não só a lógica, mas também trabalhar o lado criativo.

Abuso de Drogas

Algumas substâncias ou mesmo são ilegais ou ilícitos, por uma razão óbvia: não melhoraram a nossa saúde. Infelizmente, há pessoas que ficam viciadas em drogas depois de algumas tentativas ou experimentação. Uma vez que o corpo se habituou a essas substâncias, deixar o vício torna-se um grande desafio. Além de problemas físicos e psicológicos graves, o abuso e dependência de drogas pode levar à diminuição da memória, porque estas substâncias afectam a parte do cérebro responsável pelas funções cognitivas. Como resultado, a memória enfraquece e tende a piorar, a menos que se trate adequadamente e rapidamente.

Consumo de álcool em excesso

O consumo de álcool em excesso pode levar a vários problemas de saúde, entre eles, problemas mentais, incluindo danos na memória retrospetiva. Este tipo de memoria é responsável pela aprendizagem. No entanto, o consumo de álcool e o vício pode levar a períodos de 'apagões' ou perda temporária da memória. Quando o hábito de beber continua, partes do cérebro recebem menos oxigénio. Ao longo do tempo, esta condição pode provocar efeitos negativos sobre a totalidade do sistema nervoso central.

Carência de Vitamina B1

A tiamina, nome químico para Vitamina B1, é um nutriente essencial para metabolizar a comida, convertendo-a em energia. Além disso, esta vitamina é responsável por assegurar as funções normais do seu sistema nervoso. De acordo com especialistas, grandes quantidades desta vitamina estão localizadas no cérebro, que mantém a produção de neurotransmissores que afetam o humor, a memória, o movimento e o pensamento. Aqueles que recebem quantidade insuficiente de tiamina estão propensos a sofrer de síndrome de Wernicke-Korsakoff, que é um tipo de desordem neurológica que leva a curto prazo à perda de memória. Para evitar essa condição, é importante que as pessoas recebam as quantidades corretas de tiamina, que é um máximo de 1,2 mg para os adultos.

Falta de sono

O sono ajuda a refrescar o corpo e a mente, permitindo as reparações necessárias das células e tecidos desgastados. Além disso, as ondas cerebrais criadas enquanto dormimos são responsáveis por armazenar memória no cérebro. Estas ondas cerebrais também transferem memórias para o córtex pré-frontal, que é a secção do cérebro responsável pelo armazenamento de memórias de longo prazo. Quando não se dorme o suficiente, as memórias são incapazes de se mover para o córtex pré-frontal, e isso leva ao esquecimento e perda de memória. Assim, os adultos devem procurar ter pelo menos 7 a 8 horas de sono para melhorar a memória e evitar qualquer deterioração do lobo frontal, que pode resultar em declínio cognitivo. 

Partilhar esta notícia
Autor
Visão
Referência

Notícias Relacionadas

Info-Saúde Relacionados