Sintomas de deficiência de magnésio e o que comer para os travarNotícias de Saúde

Domingo, 19 de Fevereiro de 2017 | 66 Visualizações

Fonte de imagem: Laboratoire Synergia

Este mineral é um dos maiores aliados da saúde muscular, mas será que é consumido em doses suficientes?

O magnésio é um micronutriente, mais concretamente, um mineral que tem como função reforçar o bom funcionamento do sistema imunitário, dos nervos, dos músculos, dos ossos e ainda do coração.

Uma alimentação cuidada e variada é uma forma de evitar a carência deste nutriente, algo que pode acontecer pela ingestão insuficiente do mesmo ou por problemas no que diz respeito à sua absorção.

As pessoas com diabetes tipo 2 são as que devem preocupar-se mais com a dose diária recomendada, que varia de pessoa para pessoa, assim como a absorção do próprio mineral. Contudo, todas devem prestar atenção aos vários sintomas que o corpo dá quando os níveis de magnésio estão baixo.

Náuseas, fadiga e/ou fraqueza muscular, passando pela perda do apetite, pela dor de cabeça e até mesmo um aumento da ansiedade. Estes são apensa alguns dos sinais de alerta de deficiência, assim como o ritmo cardíaco irregular, conta o site da revista Heatlh. E o risco de excesso, existe? Sim e com ele vêm outros sintomas importantes de conhecer, como a diarreia, a dor abdominal e até a arritmia.

O que comer para evitar a carência de magnésio

A dose diária recomendada de magnésio para um adulto saudável é de 310 miligramas, podendo este valor variar de pessoa para pessoa e oscilar entre faixas etárias.

Este mineral pode ser facilmente encontrado em alimentos comuns do dia a dia, como os vegetais de folha verde escura, as sementes e os frutos secos, sendo a amêndoa e o caju as melhores fontes.

Como não poderia deixar de ser, a banana também entra no leque de melhores fontes de magnésio, dividindo o protagonismo com o tofu, o feijão preto, o abacate, a ameixa e o arroz integral.

Partilhar esta notícia
Referência
Daniela Costa Teixeira