Sinais de que não ingere proteína suficienteNotícias de Saúde

Quarta, 30 de Março de 2016 | 188 Visualizações

Fonte de imagem: taza-khobor

A proteína é um macronutriente essencial para a saúde, mas, por vezes, a ingestão diária ficam aquém da recomendada.

Músculos, órgãos e organismo. Estes são os principais beneficiados com o consumo adequado de proteína, um macronutriente composto por uma ou mais cadeias de aminoácidos.

Presente na carne, no peixe, nos grãos integrais, nas leguminosas e em alguns vegetais, a proteína é essencial para a recuperação muscular e reparação celular, sendo também fundamental para a vitalidade do organismo.

As pessoas que seguem uma dieta vegetariana ou vegan podem apresentar uma deficiência desta proteína, contudo, são aquelas que se alimentam à base de comida processada e industrializada que estão mais à mercê das consequências da falta deste macronutriente – que é tão importante quanto os hidratos de carbono e os lípidos (gordura).

Segundo o site Mind Body Green, existem alguns sintomas que facilitam o reconhecimento da deficiência de proteína. É o caso da vontade desenfreada de comer, mesmo depois de se ter feito uma refeição.

Como a proteína age diretamente na regulação dos níveis de açúcar no sangue, a sua ausência provoca picos de fome. Além disso, o consumo deficiente deste nutriente pode ainda ser notório na presença de dores musculares e articulares – que podem acontecer depois da atividade física ou até mesmo quando não foi praticado desporto.

A dificuldade em recuperar de lesões, problemas a nível de cabelo, pele e unhas e ainda a retenção de líquidos são outros sintomas comuns que espelham a falta de proteína no corpo.

Quando se faz um consumo fraco deste nutriente é ainda possível ficar doente com regularidade e apresentar fadiga mental. Em causa, está a ação benéfica que a proteína exerce no organismo e no cérebro, deixando-os incapazes quando não é ingerida de forma suficiente e correta.

Quanto ao consumo diário de proteína recomendado, o valor varia de pessoa para pessoa e das suas necessidades, contudo, a referência aponta para os 0,8 gramas por cada quilo que a pessoa tem. E se o pouco consumo de proteínas tem um impacto negativo na saúde, o mesmo acontece quando se faz uma ingestão exagerada.

Partilhar esta notícia
Referência

Notícias Relacionadas