Ser ativo nas redes socias pode ser bom para a autoestimaNotícias de Saúde

Quinta, 23 de Julho de 2015 | 35 Visualizações

Fonte de imagem: valeriosalvi

As redes sociais têm sido alvo de várias críticas por gerarem baixa autoestima. Um estudo da Universidade de Medicina da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, concluiu que apesar de gerar comparações e por isso poder prejudicar a autoestima, quando usado corretamente, o Facebook pode contribuir para a autoestima.

Ou seja, como tudo, também as redes sociais têm dois lados. Por um lado podem de facto prejudicar a imagem corporal que as mulheres e as jovens têm de si próprias levando aos distúrbios alimentares mas também, como aponta o mesmo estudo, pode contribuir para a melhoria desta, desde que as mulheres não estejam focadas na comparação.

O estudo, que será publicado no próximo número do Journal of Adolescent Health, concluiu que as mulheres com uma forte ligação emocional ao Facebook normalmente estão menos preocupadas com o tamanho e a forma do corpo, levando à diminuição do risco de sofrerem de distúrbios alimentares, desde que esta ligação emocional não seja focada na comparação.

Como revela o site Hello Giggles, este estudo inquiriu 128 mulheres em idade escolar sobre os seus hábitos alimentares.

“Penso que o Facebook pode ser uma ótima ferramenta para nutrir o apoio social e as relações com os amigos e as famílias”, diz Stephanie Zerwas, principal investigadora deste estudo. “Mas se usar este site para comparar as fotografias do seu corpo com o corpo dos seus amigos, então o Facebook pode tornar-se numa ferramenta para disseminar comportamentos de risco”, especialmente no que toca a dietas.

É importante também reconhecer que a imagem virtual de uma pessoa, na maior parte das vezes não corresponde a imagem real dessa mesma pessoa. A imagem digital é uma coisa que criamos e que podemos editar, por isso as comparações nem sempre são justas.

Partilhar esta notícia
Referência

Info-Saúde Relacionados