Separar o bebé da mãe, mesmo pouco tempo, altera cérebro em adultoNotícias de Saúde

Terça, 08 de Maio de 2018 | 35 Visualizações

Fonte de imagem: Manual da Mamãe

Mesmo uma breve separação entre o bebé e a mãe pode causar alterações na função cerebral e cognição, demonstrou um estudo.
 
Com efeito, investigadores da Faculdade de Ciências da Universidade de Indiana – Universidade Purdue Indianapolis, EUA, observaram em ratinhos que o trauma daquele evento produz alterações significativas na função futura do cérebro em adulto.
 
Os investigadores disseram que estas alterações no cérebro são semelhantes a perturbações na estrutura e função cerebral observadas em pacientes em risco de desenvolverem doenças neuropsiquiátricas como a esquizofrenia. 
 
Para o estudo, a equipa separou ratazanas com nove dias de idade das suas mães durante um período de 24 horas. Aquela idade é um período essencial no desenvolvimento cerebral das roedoras. 
 
Os exames de imagem ao cérebro das ratazanas bebé posteriores à separação revelaram que os animais exibiam anormalidades significativas comportamentais, biológicas, psicológicas e cerebrais na idade adulta. 
 
“Os cérebros das ratazanas e humanos possuem uma estrutura e conetividade semelhantes”, explicou Christopher C. Lapish, que coordenou o estudo. “Perceber o que acontece no cérebro de uma ratazana pequena que é retirada da sua mãe dá-nos informações importantes sobre como este tipo de trauma precoce – talvez comparável com a prisão de uma mãe humana – afeta o cérebro humano infantil”.
 
“As crianças expostas a stress ou privação no início de vida correm um maior risco de doença mental ou de vícios numa fase posterior da vida, incluindo esquizofrenia”, explicou Brian Donnell, coautor do estudo. 

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na “Translational Psychiatry”

Notícias Relacionadas