Sabe quais são os riscos associados ao consumo de cebola?Notícias de Saúde

Quarta, 10 de Maio de 2017 | 899 Visualizações

Fonte de imagem: Saga

Não se assuste, mas, como acontece com a grande maioria dos alimentos, também a cebola porta alguns riscos para a saúde.

Amada por uns e odiada por outros, a cebola é um dos alimentos mais consumidos, versáteis e indispensáveis para a culinária, constando num vasto leque de pratos tipicamente portugueses.

Por ser rica em nutrientes e propriedades que beneficiam a saúde das mais variadas formas, não faltam motivos para comer e chorar por mais, contudo, a verdade é que este alimento tem também alguns riscos associados. A ideia é defendida no site LiveScience, que reuniu os mais recentes estudos científicos sobre o possível impacto negativo da cebola.

Um desses estudos, publicado na revista National Digestive Diseases Information Clearinghouse, revela que o consumo de cebola (seja cozinhada ou crua) pode aumentar a sensação de inchaço, a produção de gases e ainda agravar a azia, especialmente se a pessoa tiver já um diagnóstico crónico desta patologia.

Já o consumo elevado de cebola quando ainda está verde (seja já um hábito fazê-lo ou não) pode interferir com a fluidez do sangue, deixando o mais fino devido ao elevado teor de vitamina K que possui. Esta consequência, diz um estudo da Universidade da Geórgia, pode causar alguns danos a quem já toma fármacos para tornar o sangue mais fino.

Embora seja uma situação rara, diz uma investigação publicada no Journal of Allergy and Clinical Immunology, é possível ficar alérgico a cebola ou ganhar algum tipo de intolerância a este alimento. As consequências tanto podem ser externas (com erupções cutâneas, vermelhão ou inchaço) ou internas (com vómitos, náuseas e diarreia). A melhor forma de ter a certeza se é o alimento que causa estas reações é com uma visita ao alergologista, que aconselhará as melhores formas de diagnóstico.

Por fim, embora seja já do conhecimento comum, o uso de cebolas já cortadas e mal armazenadas pode ainda aumentar o risco de contaminação por e.Coli, causando problemas a nível intestinal, por exemplo.

Porém, há que salientar que embora se tratem de evidências científicas, o impacto possivelmente negativo da cebola depende, claramente, de pessoa para pessoa e da situação em que é ingerida, sendo o aconselhamento médico a opção mais indicada para quem tem dúvidas.

Partilhar esta notícia
Referência
Daniela Costa Teixeira