Resistência aos antibióticos aumenta com a higiene excessivaNotícias de Saúde

Sábado, 16 de Março de 2019 | 6 Visualizações

Fonte de imagem: University of Oxford

Uma equipa de investigadores descobriu que o controlo microbiano, ou seja, o grau de limpeza e higienização, influencia o desenvolvimento de resistência microbiana.
 
Num estudo conduzido pela investigadora Gabriele Berg e colegas do Instituto de Biotecnologia Ambiental, na Universidade de Tecnologia de Graz, na Áustria, foi observado que quanto maior é o grau de higienização, maior é o desenvolvimento de resistência a antibióticos. 
 
A investigação consistiu na análise e comparação entre ambientes com um forte controlo microbiano e espaços com um fraco controlo. 
 
A equipa comparou o microbioma (microrganismos existentes) e resistoma (resistências antibióticas) entre uma unidade de cuidados intensivos hospitalares, entre salas da indústria aeroespacial com um elevado controlo microbiano e ainda o interior de vários edifícios públicos e privados com muito pouco controlo microbiano. 
 
As análises conduzidas pelos investigadores revelaram que a diversidade microbiana era menor nas áreas onde o controlo microbiano era maior. No entanto, estes ambientes apresentavam uma maior diversidade de resistência microbiana.
 
“Em ambientes com forte controlo microbiano na unidade de cuidados intensivos e nas salas limpas usadas na indústria, há cada vez mais resistências antibióticas que possuem um forte potencial de se combinarem com agentes patogénicos”, explicou Alexander Mahnert, investigador no estudo.
 
Os resultados demonstram que a existência de uma diversidade microbiana estável nas áreas clínicas neutraliza a propagação das resistências. 
 
“O controlo microbiano de agentes patogénicos já é usado com sucesso em plantas cultivadas e também em humanos, no contexto de transplante fecal”, indicou Gabriele Berg. 
 
A investigadora recomendou arejar regularmente os espaços, manter plantas de interior, usar deliberadamente microrganismos úteis e reduzir agentes de limpeza antibacterianos como primeiras estratégias a seguir para manter ou melhorar a diversidade microbiana. 
 

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na “Nature Communications”

Notícias Relacionadas