Realizada cirurgia pioneira de remoção de tumores no úteroNotícias de Saúde

Quarta, 25 de Julho de 2018 | 64 Visualizações

Fonte de imagem: Medical Xpress

O Centro Materno Infantil do Norte realizou, pela primeira vez em Portugal, uma cirurgia transvaginal de remoção de tumores no útero, disse o ginecologista responsável pela intervenção, Hélder Ferreira.
 
Através de um sistema ótico, com recurso a uma câmara endoscópica, a nova técnica, realizada na cidade do Porto, consiste "na visualização do interior do útero" por via transvaginal e permite uma maior precisão na identificação e remoção de lesões intrauterinas, explicou aquele especialista à agência Lusa.
 
A visualização, designada de histeroscopia, permite identificar patologias e lesões como pólipos, miomas, aderências ou cicatrizes dentro do útero, e - simultaneamente - tratar ou removê-las.
 
Hélder Ferreira, coordenador da unidade de cirurgia minimamente invasiva do Centro Materno Infantil Norte, afirmou que o novo equipamento faz com que o procedimento seja "mais reprodutível, ao torná-lo também mais rápido e seguro", comparativamente a outras técnicas que têm sido utilizadas, como a raspagem uterina, a remoção do útero ou a histeroscopia com corrente elétrica.
 
"Se conseguimos encurtar esse tempo, automaticamente conseguimos reduzir a dor e podemos fazer mais procedimentos, desta forma, sem anestesia", frisou.
 
Segundo o ginecologista, o procedimento é também "mais fácil de realizar", pois não recorre à anestesia, nem à energia elétrica, que na maioria das vezes "provocam dor e lesões às doentes".
 
Uma das vantagens desta técnica é também "o regresso precoce a casa das doentes", o que, aliado à redução do tempo que passam no hospital, evita o "elevado risco de infeções".
 
Helena Leite, de 69 anos e natural do Porto, foi uma das pacientes que foram submetidas a esta técnica. A doente saiu pelo próprio pé do bloco operatório, depois de uma intervenção que durou cerca de cinco minutos, e admitiu que o tempo de espera a deixou nervosa. Mas que "não custou muito", acrescentou.
 
Segundo o ginecologista obstetra Hélder Ferreira, outra das vantagens da nova técnica é o "aumento da segurança do procedimento" e a facilidade para "a curva da aprendizagem".

Partilhar esta notícia
Referência
Procedimento efetuado no Centro Materno Infantil do Norte

Notícias Relacionadas