Quantas peças de fruta devemos (mesmo) comer por dia?Notícias de Saúde

Segunda, 14 de Março de 2016 | 394 Visualizações

Fonte de imagem: performance

A quantidade de fruta que se deve ingerir diariamente continua a ser uma questão controversa, com várias teorias e opiniões opostas. Mas há um número a reter.

Há quem passe bem o dia sem comer fruta, mas há também quem não consiga deixar de fazer deste alimento o protagonista de várias refeições diárias. Por defeito ou excesso, o consumo de fruta é sempre um tema que gera alguma confusão por culpa da imensidade de teorias e opiniões sobre o assunto.

Contudo, quando se fala da quantidade diária de fruta que se deve consumir, há que ter um aspeto (sempre) em conta: as pessoas não são todas iguais e as suas necessidades variam. Por isso mesmo, a quantidade diária é uma questão que não pode ser unânime, mas que pode ser generalizada.

Salvo casos em que a pessoa tem uma indicação médica a dizer o contrário, o consumo de fruta deve ser privilegiado, uma vez que é a forma mais natural, eficaz e saudável de repor os níveis de vitaminas e minerais necessários para o bom funcionamento do organismo. Além disso, são alimentos ricos em fibra.

Segundo o site Food Matters, um adulto, deve comer, em média, duas peças de fruta por dia: uma laranja e uma maçã, uma banana e um punhado de uvas, um ou dois kiwis e alguns morangos. Opções não faltam.

Já a Direção Geral de Saúde (DGS) segue os dados da Organização Mundial da Saúde(OMS) e recomenda um consumo mínimo de 400 gramas de frutos, legumes e hortaliças por dia, sendo que pelo menos uma das peças de fruta que se consome diariamente deve ser um fruto rico em vitamina C (laranja, kiwi, tangerina, morangos, maçã, etc.).

Mas falando em números concretos, ou em porções, a DGS descreve na sua nova roda dos alimentos a importância de comer entre três a cinco peças de fruta por dia, sendo que cada unidade não deve exceder os 160 gramas.

Porém, há que saber avaliar a quantidade de frutose ingerida. Este açúcar presente na fruta não é nocivo, mas pode causar algum tipo de complicações em pessoas com diabetes ou problemas de saúde que possam exigir cuidados no consumo de açúcares. Por isso mesmo, o consumo de fruta deve ser discutido com o médico, sob a pena de se pecar por excesso ou por defeito.

A fruta e a saúde

Segundo a DGS, o baixo consumo de frutos, hortaliças e legumes está entre os 10 fatores de risco para o aparecimento de doenças e morte prematura.

O Instituto Nacional de Saúde Pública e do Ambiente, na Holanda, concluiu, em 2004, que o consumo diário de 200 gramas de fruta é capaz de reduzir o risco de cancro em 38%.

Em 2012, um estudo do Instituto de Ciência Metabólica de Cambridge, no Reino Unido, colocou a fruta e os vegetais no centro da dieta para prevenir o aparecimento de Diabetes tipo 2.

Há três anos, a Sociedade Americana de Nutrição revelou que o consumo diário e variado de fruta reduz o risco de problemas cardíacos em 17%.

Para as pessoas obesas e que lutam contra o excesso de peso, a fruta é sempre a opção mais indicada para as sobremesas e snacks, sendo também essencial no pequeno-almoço.

Partilhar esta notícia
Referência