Qual é a origem dos odores-fantasma?Notícias de Saúde

Domingo, 07 de Outubro de 2018 | 11 Visualizações

Fonte de imagem: Cleanfax

Um novo estudo apurou que 6,5% (ou um em cada 15) dos cidadãos norte-americanos com mais de 40 anos de idade são afetados por adores-fantasma, ou seja, percecionam um odor que não tem uma fonte.
 
O estudo que foi conduzido por uma equipa de investigadores liderada por Kathleen Bainbridge, do Instituto Nacional de Surdez e de Outras Doenças da Comunicação (NIDCD, sigla em inglês), pertencente aos Institutos Nacionais de Saúde dos EUA, procurou analisar a prevalência e fatores de risco relativos à perceção de odores-fantasma com base em dados de um estudo sobre saúde e nutrição. 
 
Os investigadores usaram dados sobre 7.417 indivíduos com mais de 40 anos de idade e que tinham participado naquele estudo norte-americano conhecido como “National Health and Nutrition Examination Survey” (ou NHANES). 
 
Além da prevalência de odores-fantasma identificada nos indivíduos com mais de 40 anos, foi observado que na faixa etária dos 40 aos 60 anos de idade a perceção daqueles odores era mais elevada. Foi ainda identificado que o dobro de mulheres experiencia odores-fantasma em relação aos homens, especialmente nas mulheres com menos de 60 anos de idade. 
 
A capacidade de identificar odores tende a diminuir com a idade. Por outro lado, a perceção de odores-fantasma parece aumentar com a idade. Além da idade, outros fatores de risco para o desencadeamento de odores-fantasma incluem lesão na cabeça, boca seca, problemas de saúde em geral e nível socioeconómico baixo (devido a maior exposição a toxinas, agentes poluentes, etc.). 
 
“Os problemas com o sentido do olfato são muitas vezes ignorados, apesar da sua importância. Podem ter um grande impacto no apetite, preferências alimentares e na capacidade de cheirar sinais de perigo como fogo, fugas de gás e comida estragada”, salientou Judith Cooper, diretora do NIDCD.
 
Donald Leopold, investigador neste estudo, acrescentou que quem sofre daquele problema pode ter uma má qualidade de vida e não conseguir manter um peso saudável. Embora não se tenha descoberto ainda as causas da perceção de odores-fantasma, estes achados poderão ajudar a procurar novas pistas para perceber as suas causas e tratá-las.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na revista “JAMA Otolaryngology-Head and Neck Surgery”