Protetor solar pode beneficiar saúde dos vasos sanguíneosNotícias de Saúde

Quarta, 10 de Abril de 2019 | 23 Visualizações

Fonte de imagem: drupa newsroom

Um estudo recente indicou que o uso de protetor solar protege a função dos vasos sanguíneos da pele da radiação ultravioleta (RUV).
 
Como se sabe, a RUV constitui um fator que contribui para o envelhecimento prematuro da pele e também para o cancro da pele. A RUV reduz ainda a dilatação dos vasos sanguíneos (vasodilatação) associada ao óxido nítrico, através da diminuição da quantidade de óxido nítrico na pele.
 
A vasodilatação cutânea desempenha uma importante função na regulação da temperatura corporal e na resposta ao stress imposto pelo calor, tanto na pele como no resto do corpo. 
 
O estudo. que foi conduzido por Tony Wolf e equipa, da Universidade do Estado da Pensilvânia, EUA, demonstrou que os protetores solares protegem a vasodilatação O estudo apurou ainda que a transpiração poderá também proteger os vasos sanguíneos cutâneos dos danos da exposição solar.
 
Os investigadores estudaram os efeitos da exposição à RUV com protetor solar ou suor sobre a capacidade do óxido nítrico em promover a vasodilatação cutânea. 
 
Para o efeito, foram recrutados jovens saudáveis com um tom de pele claro a médio, que foram expostos a RUV num braço, tendo o outro braço servido de controlo.
 
A dosagem de RUV recebida foi a equivalente à exposição no exterior ao sol durante uma hora, mas sem a vermelhidão de um escaldão. Três zonas do braço de cada participante receberam aleatoriamente um dos seguintes tratamentos: uma zona recebeu apenas RUV, outra zona RUV com um protetor solar químico na pele e a terceira zona RUV e uma simulação de suor na pele.
 
Como resultado, a região que só recebeu RUV apresentava menos vasodilatação associada a óxido nítrico do que a do braço de controlo.
 
Por sua vez, as zonas tratadas com RUV e protetor solar e suor não apresentaram redução na vasodilatação associada a óxido nítrico.
 
Finalmente, a aplicação de protetor solar antes da exposição a RUV fez aumentar a vasodilatação associada a óxido nítrico, em relação ao braço de controlo, ou quando havia suor na pele. 
 
A equipa concluiu que “a presença de protetor solar ou de suor na pele poderão desempenhar um papel protetor contra este efeito [da RUV]”. 

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na “The FASEB Journal”

Info-Saúde Relacionados