Proteína vegetal, fibra e frutos de casca rija reduzem colesterol e tensão arterialNotícias de Saúde

Quinta, 07 de Junho de 2018 | 19 Visualizações

Fonte de imagem: PurelyB

Seguir uma alimentação que inclua proteínas vegetais, fibra, frutos de casca rija e esteróis vegetais faz reduzir o colesterol, melhora a tensão arterial e melhora outros marcadores de doenças cardiovasculares, indicou um estudo. 
     
O estudo conduzido por uma equipa de investigadores da Faculdade de Medicina da Universidade de Toronto, Canadá, analisou os efeitos da dieta conhecida como “Dieta Portfólio”, que consiste num padrão alimentar que privilegia um portfólio de quatro alimentos com características comprovadas de redução do colesterol. 
 
Os alimentos em destaque que devem ser consumidos diariamente na dieta Portfólio são os seguintes: 42 gramas de frutos secos de casca rija, 50 gramas de proteína vegetal derivada de produtos de soja ou leguminosas como feijão, grão-de-bico, lentilhas e ervilhas, 20 gramas de fibra solúvel viscosa derivada de alimentos como cevadinha, aveia, maçãs, laranjas e frutos vermelhos e 2 gramas de esteróis de plantas através de suplementos ou de produtos enriquecidos com os mesmos.
 
Para o estudo, a equipa conduziu uma meta-análise de sete ensaios clínicos que incluíam 439 participantes com hiperlipemia (aumento da concentração de lípidos no sangue) que seguiram a deita Portfólio. 
 
Os investigadores apuraram que em relação a uma dieta para o colesterol padrão, a dieta Portfólio fez reduzir o colesterol LDL (mau) em 17%, assim como o colesterol total, os triglicerídeos, a tensão arterial sistólica, a tensão arterial diastólica e a proteína C reativa. 
 
Foi ainda detetada uma redução de 13% no risco de doença coronária no período de 10 anos.
 
“Ensaios clínicos anteriores e estudos observacionais encontraram forte evidência de melhoramento da saúde cardíaca com uma dieta baseada em vegetais”, disse Hana Kahleova, autora do estudo.
 
“Este estudo demonstra que certos alimentos vegetais são especialmente eficazes na redução do colesterol e no melhoramento da nossa saúde cardiovascular em geral”, concluiu.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na “Progress in Cardiovascular Diseases”

Notícias Relacionadas

Info-Saúde Relacionados