Primeira morte por 'legionella' confirmada em Vila Franca de XiraNotícias de Saúde

Sábado, 08 de Novembro de 2014 | 2 Visualizações

Um dos doentes infetados com legionella morreu hoje no hospital de Vila Franca de Xira, uma informação confirmada pelo diretor do Hospital de Vila Franca de Xira.

A vítima mortal é um homem de 59 anos, que não resistiu à infeção poucas horas depois de ter dado entrada nesta unidade de saúde.

Carlos Rabaçal, diretor clínico do hospital, confirma que neste momento existem 54 casos confirmados, destes quatro encontram-se em estado grave.

Estes casos de legionela concentram-se no concelho de Vila Franca de Xira, sobretudo nas freguesias de Forte das Casas, Póvoa de Santa Iria e Via Longa.

O diretor clínico do hospital de Vila Franca de Xira garantiu, ao início da tarde, que o hospital está preparado para lidar com o surto de 'legionella' e admitiu que não há ainda informações sobre a origem desta infeção.

«Temos tudo o que precisamos, não temos um aumento de afluência ao hospital, a afluência é a que se verifica durante as noites e durante todo o ano, por isso para além destes problemas, temos o banco de urgência com as situações mais díspares», disse o diretor clínico do hospital, Carlos Rabaçal, em declarações aos jornalistas no hospital.

O responsável clínico confirmou o primeiro óbito, acrescentando que há pessoas infetadas entre os 31 e os 90 anos, e aconselhou a população a falar primeiro com a Linha de Saúde 24 antes de ir a qualquer urgência.

«O conselho é que se as pessoas tiverem febre, dores no corpo, expetoração, devem chegar ao hospital se isso lhes for indicado pela Saúde 24. Se depois os doentes forem orientados para a nossa urgência, podem vir», disse, assegurando que o hospital tem capacidade para tratar deste caso.

Questionado sobre as origens deste surto de 'legionella', o responsável clínico disse não ter qualquer ideia, mas vincou que essa não é a sua preocupação principal.

«Essa situação está a ser tratada pelas autoridades, não nos compete a nós averiguar isso. O que sabemos é que as pessoas são das mesmas freguesias - Forte da Casa, Póvoa de Santa Iria e Vialonga - e continuamos a trabalhar de forma articulada com as delegações de saúde e com a ARS, mas há informações que não nos podem ser pedidas a nós», respondeu Carlos Rabaçal.

A Direcção Geral de Saúde promete mais esclarecimentos ao longo do dia, está marcada uma conferência de imprensa para as 15h. As autoridades continuam sem conseguir identificar a origem da infeção.

Partilhar esta notícia
Autor
Tsf
Referência

Info-Saúde Relacionados