Portugueses planeiam filhos cada vez mais tardeNotícias de Saúde

Quarta, 17 de Junho de 2015 | 14 Visualizações

Os portugueses planeiam a chegada dos filhos cada vez mais tarde, com os homens a equacionarem serem pais por volta dos 34 anos e as mulheres serem mães por volta dos 32. Por outro lado, quase metade das portuguesas (46 por cento) anteciparia o momento de ter filhos se soubesse que poderia ver a ter problemas de fertilidade.

Estas são algumas das conclusões do estudo “Conhecimento, perceções e atitudes em relação à reprodução assistida da população portuguesa em idade reprodutiva”, que acaba de ser divulgado. O trabalho envolveu o inquérito a mais de 2400 pessoas e é uma parceria entre a Sociedade Portuguesa de Medicina da Reprodução e a Merck. O objetivo é avaliar de que forma a população portuguesa conhece e encara a temática da reprodução medicamente assistida.

O estudo conclui ainda que a maioria dos homens se preocupa com as causas da infertilidade, ao mesmo tempo que as mulheres estão preocupadas com a idade fértil. A perceção da idade limite para ter filhos é partilhada pelos dois sexos: em média os homens consideram que as mulheres não deveriam ser mães a partir dos 41,7 anos, enquanto que as mulheres consideram que não deveriam ser mães depois dos 41,6 anos. De qualquer forma, 87,2 por cento dos homens e 77,4 por cento das mulheres nunca debateram o tema da fertilidade nas suas consultas médicas.

Também o número de filhos desejado não corresponde, muitas vezes, aos que acaba por acontecer. A maior parte dos homens e mulheres gostariam de ter dois filhos, mas ele esperam ficar, em média, por 1,4 filhos e elas por 1,3 filhos.

Partilhar esta notícia
Autor
Pais
Referência

Notícias Relacionadas