Portuguesa desenvolve novo ferro para combater anemiaNotícias de Saúde

Quarta, 02 de Julho de 2014 | 50 Visualizações

Um novo tipo de ferro, desenvolvido no laboratório da investigadora portuguesa Dora Pereira, em Cambridge, Inglaterra, foi premiado pela Sociedade Real de Química britânica, pelo potencial de revolucionar o combate à anemia. 

O novo composto, desenvolvido no laboratório da portuguesa, líder de equipa no Conselho de Pesquisa Médica (Medical Research Council), pretende ser mais eficaz e ter menos efeitos secundários do que os suplementos de ferro actualmente usados no combate à anemia. 

"Atualmente, as terapias são baseadas em ferro solúvel, que não é completamente absorvido e tem efeitos secundários gastrointestinais, causa mudanças na flora intestinal ou provoca reacções redox no intestino, que podem dar origem a inflamação e lesões cancerígenas", disse Dora Pereira (em baixo) à agência Lusa. 

O laboratório da portuguesa, que estuda a forma como o ferro é absorvido pelo sistema humano, desenvolveu um mimético do ferro que se encontra naturalmente nos alimentos e no sistema digestivo e que, por meio de endocitose, as células dissolvem e, depois, libertam gradualmente na corrente sanguínea. 

"É mais seguro e evita os efeitos secundários dos outros suplementos de ferro disponíveis no mercado", garante a investigadora.

Os resultados dos primeiros estudos pré-clínicos e humanos foram publicados na segunda-feira, na revista Nanomedicine, poucos dias depois da atribuição do primeiro prémio da Royal Society of Chemistry, anunciada no dia 25 de Junho. 

"O objetivo do prémio é trazer avanços das ciências químicas com potencial impacto para a economia britânica, para uma realidade comercial", disse a cientista, que espera saber, na próxima semana, se haverá farmacêuticas interessadas em desenvolver um produto para venda ao público. 

"A anemia não é vista como um problema de saúde pública, mas é a causa de maior número de pedidos de baixa do trabalho. Finalmente a indústria percebeu a importância deste problema", congratulou-se.

Partilhar esta notícia
Referência
Revista Nanomedicine

Info-Saúde Relacionados