Porque é que os mosquitos 'gostam' mais de umas pessoas do que de outras?Notícias de Saúde

Domingo, 10 de Agosto de 2014 | 122 Visualizações

Com o verão vem o calor, mas também infinitos tipos de mosquitos. Uma marca no corpo, ou uma comichão mais intensa pode ser o mal menor das picadas, uma vez que várias doenças podem ser transmitidas através dos mosquitos.

"A reação a uma picada de mosquito é uma inflamação da pele mais acentuada em pessoas que têm o sistema de mastócitos e eosinófilos - células encarregadas das reações alérgicas - mais estimulado", explica Sergio Vañó, dermatologista espanhol, em declarações ao El Pais.

Alguns fatores que influenciam a propensão para se tornar um alvo dos mosquitos:

  • O grupo sanguíneo

Segundo Diego Hoyos, farmacêutico e diretor de formação dos Laboratórios Phergal, o grupo sanguíneo "O" é o preferido dos mosquitos.

  • Grávidas, ou pessoas com mais peso

"Os níveis de CO2 aumentam em adultos, em grávidas e em pessoas com mais peso (...) e os mosquitos são atraídos pelo dióxido de carbono que produzimos ao respirar", explica Hoyos.

  • O suor

Tendo em conta de os mosquitos têm 27 recetores do odor, o ácido láctico que contem o suor chama a atenção dos mosquitos, atraindo-os. Segundo Arantza Vega, outra médica ouvida pelo El Pais, "esta substância, juntamente com o dióxido de carbono, consiste num indicador de que somos mamíferos, e por tanto, podemos proporcionar sangue".

Como podemos afastá-los de nós, e assim, prevenir as picadas?

 

  • Sprays

Os sprays podem ser produzidos através de substâncias sintéticas ou naturais. Segundo Arantza Vega "como sintético, o mais usado é o DEET, que é o mais eficaz e que cujo efeito dura umas 7 horas". Já os naturais têm uma duração e eficácia mais reduzidas. Normalmente são feitos a partir de óleos essenciais, como a citronela ou o óleo de eucalipto. "Têm a vantagem de serem seguros para as pessoas e para o meio ambiente. Atuam modificando o nosso odor para outro que não atrai os mosquitos", acrescenta Vega.

  • Difusores e pulseiras

Apesar de emitirem odor e de funcionaram de forma semelhante a outros repelentes, estes têm de estar perto de nós para que sejam eficazes. Arantza Veja explica que "as pulseiras só cobrem uma pequena área em seu redor, enquanto que outros repelentes formam uma barreira por toda a pele não coberta".

  • Sons de alta frequência

Os resultados de estudos realizados a sons de alta frequência como forma de afastar os mosquitos mostraram uma escassa eficácia face a diferentes tipos de insetos. A frequência usada é de 5-20 kHz e o seu uso é muito discutido. 

Partilhar esta notícia
Autor
Visão
Referência
El País

Notícias Relacionadas