Porque é que bebemos leite?Notícias de Saúde

Sexta, 10 de Julho de 2015 | 168 Visualizações

Fonte de imagem: Spclinic

A popularização do leite é um fenômeno relativamente recente. Na Europa e nos Estados Unidos do século XIX eram fundamentalmente as crianças que se alimentavam regularmente do leite de vaca.

Quanto mais longe estava do local da produção mais perigoso ficava para o consumo. Sendo terreno fértil para bactérias, além de ser muitas vezes adulterado com giz e água por vendedores sem escrúpulos, recorda a BBC.

Hoje em dia à que o considere um verdadeiro 'antídoto' da vida urbana. A historiadora Deborah Valenze explica que ascensão do leite a alimento perfeito surgiu graças a vários fatores isolados que coincidiram no fim do século XIX e início do século XX.

Como a mortalidade infantil crescente nas cidades, ou as técnicas e padrões de qualidade para tornar o leite mais seguro que ganharam importância, como a pasteurização. Ou o crescente interesse pela cura pela alimentação, uma corrente que defendia que se devia dar às pessoas doentes comidas simples e puras apenas. Além de simples, este alimento tem gorduras, hidratos de carbono e proteínas, os três componentes de que o organismo necessita.

'Superalimento' da era industrial: Na Alemanha, no final do século XX, o aparecimento de homens adultos a beber leite estava ligado aos movimentos sociais que se opunham ao consumo de álcool, assim como à procura de uma alimentação mais básica, segundo a historiadora Barbara Orland, da Universidade da Basileia, na Suíça.

Na tentativa de mudar a cultura do consumo de cerveja e bebidas destiladas, especialmente entre operários, foi feita uma pressão para que se servisse leite nas fábricas.

Nas primeiras décadas do século passado, à medida que os cientistas foram aprofundando os seus conhecimentos sobre nutrição, o leite passou a ser considerado um alimento perfeito. O seu papel como uma fonte das recém-descobertas vitaminas e a ideia de que de alguma forma o leite poderia corrigir as deficiências de qualquer dieta fizeram com que ganhasse tal relevância. O que agradou à indústria de laticínios.

Propriedades questionadas: Por volta de 1920, agricultores, cientistas e governos uniram-se numa mensagem sobre a perfeição nutricional do leite. Mas hoje há menos consenso. O excesso de gordura no leite integral gera alguma desconfiança. Os grandes estudos também não conseguiram encontrar uma relação entre o consumo de leite e uma diminuição dos casos de fraturas ósseas, um de seus supostos benefícios.

 

Sabe-se atualmente que é possível seguir uma dieta saudável e equilibrada sem leite. Mas ainda é considerado um alimento fundamental.

A popularização do leite é um fenômeno relativamente recente. Na Europa e nos Estados Unidos do século XIX eram fundamentalmente as crianças que se alimentavam regularmente do leite de vaca.

Quanto mais longe estava do local da produção mais perigoso ficava para o consumo. Sendo terreno fértil para bactérias, além de ser muitas vezes adulterado com giz e água por vendedores sem escrúpulos, recorda a BBC.

Hoje em dia à que o considere um verdadeiro 'antídoto' da vida urbana. A historiadora Deborah Valenze explica que ascensão do leite a alimento perfeito surgiu graças a vários fatores isolados que coincidiram no fim do século XIX e início do século XX.

Como a mortalidade infantil crescente nas cidades, ou as técnicas e padrões de qualidade para tornar o leite mais seguro que ganharam importância, como a pasteurização. Ou o crescente interesse pela cura pela alimentação, uma corrente que defendia que se devia dar às pessoas doentes comidas simples e puras apenas. Além de simples, este alimento tem gorduras, hidratos de carbono e proteínas, os três componentes de que o organismo necessita.

'Superalimento' da era industrial: Na Alemanha, no final do século XX, o aparecimento de homens adultos a beber leite estava ligado aos movimentos sociais que se opunham ao consumo de álcool, assim como à procura de uma alimentação mais básica, segundo a historiadora Barbara Orland, da Universidade da Basileia, na Suíça.

Na tentativa de mudar a cultura do consumo de cerveja e bebidas destiladas, especialmente entre operários, foi feita uma pressão para que se servisse leite nas fábricas.

Nas primeiras décadas do século passado, à medida que os cientistas foram aprofundando os seus conhecimentos sobre nutrição, o leite passou a ser considerado um alimento perfeito. O seu papel como uma fonte das recém-descobertas vitaminas e a ideia de que de alguma forma o leite poderia corrigir as deficiências de qualquer dieta fizeram com que ganhasse tal relevância. O que agradou à indústria de laticínios.

Propriedades questionadas: Por volta de 1920, agricultores, cientistas e governos uniram-se numa mensagem sobre a perfeição nutricional do leite. Mas hoje há menos consenso. O excesso de gordura no leite integral gera alguma desconfiança. Os grandes estudos também não conseguiram encontrar uma relação entre o consumo de leite e uma diminuição dos casos de fraturas ósseas, um de seus supostos benefícios.

Sabe-se atualmente que é possível seguir uma dieta saudável e equilibrada sem leite. Mas ainda é considerado um alimento fundamental.

Partilhar esta notícia
Referência