Pequena quantidade de canábis em adolescentes altera volume do cérebroNotícias de Saúde

Sexta, 01 de Fevereiro de 2019 | 17 Visualizações

Fonte de imagem: Edmonton

Numa altura em que se debate a legalização do uso da canábis para fins recreativos, um estudo demonstrou que o uso de uma pequena quantidade daquela substância está associado a diferenças no volume do cérebro.
 
O estudo, que foi conduzido por uma equipa de investigadores da Universidade de Vermont, EUA, foi o primeiro a demonstrar que um aumento no volume da massa cinzenta em algumas partes do cérebro de adolescentes era uma consequência provável do uso escasso da droga.
 
“Consumir apenas um ou dois charros parece alterar os volumes de massa cinzenta nestes jovens adolescentes”, confirmou Hugh Garavan, coautor do estudo.
 
Para o estudo, que integrava um projeto de longa duração conhecido como IMAGEN, os investigadores contaram com 46 jovens adolescentes que aos 14 anos de idade relatavam ter usado canábis uma ou duas vezes.
 
Foi observado que os cérebros dos adolescentes apresentavam maior volume de massa cinzenta nas áreas dos recetores de canabinoides em relação a adolescentes que não tinham usado canábis.
 
As maiores diferenças observadas na massa cinzenta foram na amígdala, que está envolvida no processo do medo e de outras emoções relacionadas, e no hipocampo, que está envolvido no desenvolvimento da memória e das capacidades espaciais.
 
É de salientar que os investigadores disseram não haver diferenças pré-existentes no volume da massa cinzenta ou traços na personalidade dos utilizadores de canábis que pudessem estar correlacionados com as diferenças observadas nos seus cérebros. 
 
Não se sabe o que significa o aumento observado na massa cinzenta dos jovens adolescentes que tinham usado a canábis. Hugh Garavan explicou que, contudo, naquela idade, os adolescentes passam por um processo em que o cérebro fica menos espesso, à medida que refina as ligações sinápticas.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na revista “Journal of Neuroscience”

Notícias Relacionadas