Peixe na gravidez tem efeitos protetores para o bebéNotícias de Saúde

Quinta, 28 de Janeiro de 2016 | 72 Visualizações

Fonte de imagem: infodiario

As grávidas que comem peixe durante a gravidez estão a zelar pelo desenvolvimento cognitivo do bebé. O atum, até agora desaconselhado, mostrou ser o 'melhor amigo'.

Há mais um alimento a ter em conta na dieta das grávidas: o peixe. Segundo um estudo divulgado pela Time, as mulheres grávidas que comem três a quatro porções de peixe por semana estão a proteger o desenvolvimento cognitivo do bebé e a prevenir possíveis sintomas de autismo.

Publicado no site do American Journal of Epidemiology, o estudo levado a cabo por uma série de investigadores espanhóis vem, agora, deitar por terra todas as anteriores recomendações que indicavam que as mulheres em período de gestação deviam evitar o consumo de peixe.

O estudo

Para a investigação, os cientistas contaram com a participação de 1.892 grávidas com mais de três meses de gestação e de 1.589 crianças.

Entre 2004 e 2008 e durante a gravidez das mulheres, os investigadores analisaram os níveis de vitamina D e de iodo e ainda a alimentação das participantes, que tinham que detalhar o tipo de peixe que ingeriam e o número de vezes que era incluído na dieta semanal, assim como a quantidade.

Depois de darem à luz, foi a vez de os bebés serem o centro das atenções: entre os 14 meses e os cinco anos de idade das crianças, os cientistas analisaram o desenvolvimento cerebral e o desempenho cognitivo. Mas antes, conta a Time, o cordão umbilical, também, foi alvo de um exame.

Assim que todos os dados foram recolhidos e cruzados, os investigadores concluíram que o consumo de 340 gramas de peixe por semana durante a gravidez fez com que as crianças obtivessem melhores resultados nos testes psicológicos realizados meses e anos depois.

A pontuação nesses testes aumentava quando se tinham verificado uma maior quantidade consumida. Segundo a investigação, os filhos de mulheres que comeram 600 gramas de peixe por semana tinham um quociente de inteligência (Q.I.) 2.8 pontos superior.

Contudo, salienta o Centro de Investigação em Epidemiologia Ambiental, os benefícios do peixe diminuíram significativamente quando o consumo deste alimento ultrapassava os 600 gramas por semana.

O atum, até agora desaconselhado, mostrou ser o melhor amigo da saúde cognitiva das crianças.

Partilhar esta notícia
Referência

Notícias Relacionadas