Paracetamol pode aliviar dor psicológicaNotícias de Saúde

Sexta, 31 de Outubro de 2014 | 295 Visualizações

O Paracetamol, composto de medicamentos normalmente usado para alívio das dores físicas, pode atenuar a dor psicológica, revela um estudo da Universidade de Kentucky (UK), EUA, publicado na revista científica Psychological Science.

O estudo, liderado por Nathan DeWall, da UK, explica que o paracetamol (ingrediente ativo de medicamentos como o Ben-U-Ron) pode aliviar também a dor psicológica. 

"A ideia parecia simples tendo em conta aquilo que sabíamos sobre a sobreposição entre os sistemas neuronais de dor social e e os sistemas de dor físicos. Para minha surpresa, não encontrei ninguém que tivesse alguma vez testado esta ideia", esclareceu o DeWall.

A equipa de cientistas investigou a conexão entre os sistemas dos dois tipos de dores (física e espiritual) através de duas experiências, que incluíram 62 voluntários num primeira fase e e 25 na fase seguinte.

Na primeira fase, cada um dos participantes tomou 1.000 miligramas diários de paracetamol ou um placebo. O relatório diário revelou que, todas as noites, os participantes que tomaram o composto ativo sentiram que a mágoa e dor psicológica ia diminuindo ao longo do tempo, enquanto que os restantes nada sentiram.

Os resultados concluíram, na primeira fase, que o uso de paracetamol pode diminuir a dor psicológica, auto-relatada ao longo do tempo, "ao alterar emoções ligadas a sentimentos de dor emocional".

"Ficámos muito animados sobre estes resultados iniciais", disse DeWall. "O próximo passo foi identificar os mecanismos neurais subjacentes às conclusões".

Na segunda fase, os participantes tomaram 2.000 miligramas por dia de paracetamol ou um placebo. Três semanas após o início do ensaio clínico, os indivíduos participaram num jogo de computador que cria sentimentos de rejeição social.

Durante o processo os participantes que tomaram o fármaco foram sujeitos a uma ressonância magnética que revelou que o paracetamol reduziu as respostas neurais ligadas à rejeição social em determinadas regiões do cérebro ligadas a estes tipo de sentimentos. 

A investigação concluiu que estas "descobertas sugerem que a mitigação, pelo menos temporária da angústia relacionada com a dor social pode ser alcançada através de um analgésico utilizado para dores físicas".

"Esta pesquisa tem o potencial de mudar a forma como os cientistas e leigos entendem a dor física e social. (...) Esperamos que os nossos resultados possam pavimentar o caminho para intervenções destinadas a reduzir a dor e rejeição social", afirmou DeWall.

Clique AQUI para aceder ao comunicado.

Partilhar esta notícia
Referência
Revista científica Psychological Science

Notícias Relacionadas