Osteoartrose do joelho: qual é o tratamento mais eficaz?Notícias de Saúde

Segunda, 07 de Maio de 2018 | 164 Visualizações

Fonte de imagem: La Trobe Sport and Exercise Medicine Research Centre

Uma meta-análise sobre estudos efetuados sobre a eficácia dos tratamentos não cirúrgicos para a osteoartrose do joelho elegeu o fármaco naproxeno como o mais eficaz no alívio das dores e melhoramento da funcionalidade.
 
Os tratamentos não-cirúrgicos para a osteoartrose do joelho incluem exercícios aeróbicos de baixo impacto, treino de força, perda de peso em pacientes com um índice de massa corporal superior a 25 e com fármacos anti-inflamatórios não esteroides (AINE).
 
Para o estudo, os investigadores liderados por David Jevsevar, analisaram 53 ensaios clínicos randomizados que envolviam tratamentos de pelo menos 28 dias e um mínimo de 30 participantes por grupo.
 
Os tratamentos analisados foram comparados e pontuados e contemplavam: acetaminofeno, ibuprofeno, injeções de cortisona intra-articulares, ácido hialurónico, plasma rico em plaquetas (PRP), vários AINE como naproxeno, celecoxib e ainda placebos orais e intra-articulares.
 
As conclusões da meta-análise foram as seguintes: para o alívio da dor a curto-prazo (4 a 6 semanas), as injeções de cortisona foram consideradas o meio mais eficaz, seguido do ibuprofeno, injeções de PRP, naproxeno e celecoxib.
 
O fármaco com maior propensão para melhorar a funcionalidade, foi o naproxeno, seguido do diclofenac, celecoxib, ibuprofeno e injeções de PRP. 
 
Para o melhoramento tanto da dor como da funcionalidade, o naproxeno foi eleito o melhor tratamento, seguido pelas injeções de cortisona, injeções de PRP, ibuprofeno e celecoxib.
 
As injeções de ácido hialurónico não obtiveram uma pontuação que as situasse entre os tratamentos mais eficazes, tendo os resultados das mesmas sido pouco diferentes dos obtidos com os placebos intra-articulares.
 
Embora o uso dos AINE para o tratamento de problemas de artrose apresente riscos como AVC e ataque cardíaco, a evidência existente indica que o naproxeno, além de eficaz, é relativamente seguro em termos de efeitos adversos cardiovasculares.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na revista “JAAOS”

Info-Saúde Relacionados