Os pés têm transpirado mais do que o suposto? Diga olá à hiperidroseNotícias de Saúde

Quarta, 24 de Maio de 2017 | 503 Visualizações

Fonte de imagem: Clínica do Suor Excessivo

A transpiração excessiva pode afetar facilmente os pés quando as temperaturas sobem.

Mesmo de uma forma mais ou menos tímida, as temperaturas altas começam a fazer-se sentir e com elas chegam também os momentos de maior transpiração. A testa fica molhada, as costas a pingar, as mãos ficam húmidas… e os pés completamente transpirados.

A transpiração excessiva dá-se pelo nome de hiperidrose, uma condição que pode agravar com a subida das temperaturas e, claro, com o uso de determinadas roupas e calçados. A genética pode ter também algo a dizer, especialmente quando o excesso de suor ocorre em períodos de pouco ou nenhum esforço ou em ambientes amenos.

Conta o site da revista norte-americana Women’s Health que a transpiração excessiva é uma condição hereditária e tende a afetar mais os jovens adultos. Trata-se de uma condição comum nos homens, embora possa também afetar de forma significativa o sexo feminino. Segundo a dermatologista S. Manjula Jegasothy, as pessoas que sofrem desta patologia tendem a apresentar os primeiros sintomas na infância, sendo o mau odor dos pés (chulé) um dos sinais mais comuns.

No que diz respeito à transpiração excessiva nos pés, e como já mencionamos acima, as temperaturas elevadas podem agravar ou até desencadear esta condição, especialmente se a pessoa usar um sapato fechado de má qualidade ou umas meias que não libertam a humidade.

Diz a médica Jacqueline M. Sutera que o uso de meias feitas com um tecido mais respirável, como o algodão, pode ajudar e que, sempre que “possível e apropriado, deve-se optar por tecidos respiráveis e materiais naturais com aberturas”. Os sapatos de lona são, segundo a especialista, uma boa alternativa, mas o mais importante é que não se use um calçado sintético e que absorva com facilidade o calor do chão.

Quando a transpiração dos pés se torna demasiado intensa e até mesmo desconfortável, deve-se procurar a ajuda de um médico ou dermatologista, pois apenas um diagnóstico especializado poderá levar ao tratamento mais adequado.

Partilhar esta notícia
Referência

Info-Saúde Relacionados