Os legumes biológicos podem funcionar como vacinasNotícias de Saúde

Segunda, 27 de Março de 2017 | 23 Visualizações

Fonte de imagem: Juixing

O especialista espanhol em agricultura biológica Mariano Bueno defendeu a criação de hortas caseiras ou a participação em hortas urbanas, já que os legumes "adaptam-se" à poluição e podem funcionar como "vacinas", noticiou a agência Lusa.
 
“Defendo hortas em casa ou perto de casa, porque a poluição do ambiente é mais ‘saudável’, já que uma planta que cresce num determinado sítio vê-se submetida ao frio, também a compostos tóxicos ambientais e para sobreviver fabrica polifenóis. O aumento da asma e alergias na sociedade atual é por pouco contacto com a natureza e com a terra e por não comermos plantas e legumes que cresçam perto de onde vivemos”, explicou.
 
Para o especialista, "os legumes plantados no ambiente poluído em que vivemos podem tornar-se vacinas", já que as plantas vão ter de se proteger desses componentes químicos que andam no ar. “Se tudo o que comemos vem esterilizado, é produzido em estufa, vem embalado, o corpo não vai ser ‘contaminado’ e aquele alimento não vai fazer nada. Por seu turno, aqueles que crescem no ambiente em que vives vão-te proteger”, sublinhou Mariano Bueno.
 
Mariano Bueno explicou ainda que um tomateiro que cresce ao ar livre “tem mais sabor porque tem de se defender enquanto um tomate de estufa, de temperatura controlada, rega controlada, não tem sabor porque não teve de defender-se de nada: estamos a descobrir que os aromas e os sabores das plantas são os mecanismos de proteção”.
 
O especialista europeu em agricultura biológica participou num 'workshop' na Escola Básica n.º 1 de Lisboa, onde ensinou crianças entre os seis e 10 anos a fazer um vaso hidropónico caseiro com um garrafão de água de cinco litros, a produzir “pesticidas” naturais, entre muitos outros truques.
 
Mariano Bueno avançou que existem atualmente movimentos médicos e científicos, designados por horto terapia, que revelam que grande parte dos problemas de saúde “tem a ver com o facto de nos desenraizarmos da terra e de nos desvincularmos das nossas raízes, já que somos seres biológicos”.

Partilhar esta notícia
Autor
Lusa
Referência