Os benefícios da corridaNotícias de Saúde

Domingo, 17 de Maio de 2015 | 62 Visualizações

Quando preparamos uma grande prova, que exige muito de nós, muitas e muitas horas de treino, seguir um plano alimentar adequado e uma evolução constante das corridas, quase damos como certo que a vamos fazer e que irá correr bem. Se ainda por cima tirarmos a pressão do tempo de prova, então o desafio tornar-se-á ainda mais leve. Mas mesmo com todos os requisitos que são esperados, cumprindo o acompanhamento e o treino (quase) à risca, surgem problemas por vezes impossíveis de contornar.

Neste caso, propus-me terminar uma maratona este ano pelo que comecei a preparar os treinos a sério nos quatro meses anteriores. Devagar para que o corpo se adaptasse progressivamente à carga, treinos mais curtos e mais lentos e mais longos e mais rápidos. Segui um plano de treinos, fiz reforço muscular, fui acompanhada por um nutricionista.

Tudo certinho e provavelmente com maior detalhe do que algumas pessoas que vão fazer a distância da maratona. A Maratona em que me inscrevi exige atestado médico, pelo que fui a um especialista que me prescreveu a quantidade de exames necessários: análises globais, eletrocardiograma de esforço e repouso e raio X aos pulmões.

O check up que todos os desportistas deviam anualmente realizar e que muitas vezes descuram por considerarem que não é necessário.

O profissional de saúde foi competente e não atestou que eu tinha capacidade de correr uma maratona sem os exames auxiliares de diagnóstico, muitas vezes as únicas armas que podemos contar para sabermos se a nossa saúde é suficiente para fazermos as nossas provas e distâncias preferidas. Tudo estava bem, sentia-me em forma e a treinar como nunca até chegarem os resultados dos exames que estavam bons no geral mas que revelavam uma anemia incompatível com a distância da maratona.

Apesar de me sentir bem, concluí através de análises que a saúde não acompanhava essa sensação.

Conto esta história com o objetivo de alertar todas as pessoas e em especial os desportistas para realizar um check up anual e irem desta forma regulando a sua saúde que não passa apenas pelo exercício e uma alimentação equilibrada mas também requer uma gestão mais ampla onde se incluem exames periódicos que podem dizer-nos mais do que o nosso corpo. Para sentir e estar em forma de facto!

Partilhar esta notícia
Referência
Isabel Pinto Costa