Onze mitos sobre a alimentação que deve desfazerNotícias de Saúde

Quinta, 23 de Março de 2017 | 38 Visualizações

Fonte de imagem: Star Market

Há muitos alimentos que são apontados como ‘vilões’ para a dieta e para a saúde, mas que na verdade não o são.

Hoje em dia a informação relativa à alimentação é tanta que acabam por se perpetuar certos mitos através do exagero das conclusões de alguns estudos.

Isto faz com que certos alimentos passem a ser encarados como verdadeiros ‘vilões’ para a saúde e para a linha, quando na verdade não o são – desde que seja consumidos em moderação, claro.

O Business Insider destaca os 11 mitos sobre a alimentação que deve desfazer já:

1º mito: O glúten faz mal. Apenas 1% da população tem doença celíaca, que torna as pessoas intolerantes ao glúten. Para o resto da população este ingrediente não tem qualquer efeito prejudicial. Aliás, um estudo sugere que seguir uma dieta sem glúten aumenta o risco de diabetes tipo 2.

2º mito: Os ovos são ricos em colesterol e esse colesterol entope as veias. Ainda que os ovos sejam ricos em colesterol, isso não se traduz no aumento de colesterol no sangue.

3º mito: A cafeína tolhe o crescimento e prejudica a saúde. De acordo com a Mayo Clinic, o adulto comum pode consumir com segurança uma dose diária de 400mg de cafeína por dia. Descubra quanta cafeína tem o seu café. É seguro beber dois ou três cafés por dia.

4º mito. A água com gás provoca pedras nos rins, desgasta o cálcio dos ossos e até remove o esmalte dos dentes. A água com gás faz tão bem como a água lisa. O único gás que faz mal é o dos refrigerante, porque contém açúcar.

5º mito: A gordura da comida deixa-nos gordos. Apesar de a gordura dos fritos e das carnes vermelhas não ser a melhor para a saúde ou para a dieta, o mesmo não se passa com as gorduras saudáveis, de alimentos como abacate ou azeite.

6º mito: O queijo faz mal porque é viciante. Apesar de poder ser um alimento ou ingrediente irresistível, não há provas realmente científicas que provem que vicia mesmo ou que faz mal à saúde. Mas, claro, devido ao seu alto teor de sódio, fazer um consumo excessivo de queijo nunca será benéfico.

7º mito: Os adoçantes artificiais provocam cancro. A organização norte-americana Food and Drug Administration avaliou centenas de estudos sobre sucralose, aspartame, sacarina, entre outros e para já considera-os seguros.

8º mito: Os alimentos geneticamente modificados provocam cancro e prejudicam o ambiente. Existem desde 1980 e um estudo recente sublinha que não representam mais riscos para o ambiente do que os alimentos comuns e que não encontrou provas de que sejam menos seguros do que as versões convencionais.

9º mito: O sal provoca problemas cardiovasculares e engorda. O corpo precisa de sal, mas este deve ser consumido com moderação.

10º mito: Os hidratos de carbono contribuem para o aumento de peso. Apesar de ser boa ideia limitar o consumo de hidratos de carbono refinados – como massa, pão e arroz brancos -, nem todos os hidratos são maus. Os cereais integrais, a fruta e as batatas são hidratos de qualidade.

11º mito: O peixe contém muito mercúrio, que faz mal à saúde. Apesar de o mercúrio se poder acumular-se em peixes grandes e mais velhos, como o espadarte ou o tubarão, não costuma ser um problema em peixes pequenos. A organização norte-americana Food and Drug Administration considera que em termos de mercúrio as seguintes opções são seguras: salmão, truta, ostras, arenque, sardinhas e a cavala do Atlântico e do Pacífico.

Partilhar esta notícia
Referência
Vânia Marinho

Notícias Relacionadas

Info-Saúde Relacionados