OMS classifica vício em videojogos como doença mentalNotícias de Saúde

Terça, 19 de Junho de 2018 | 18 Visualizações

Fonte de imagem: University of Oxford

O vício em videojogos é considerado oficialmente pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como uma doença mental, segundo consta a 11ª edição da Classificação Internacional de Doenças, divulgada esta segunda-feira

Inserido na categoria de “comportamentos viciantes”, juntamente com o vício de jogos de apostas, o “distúrbio com videojogos” é descrito, pela OMS, como um padrão de comportamento crescente ao longo de 12 meses e que pode ter impacto negativo nas atividades mais simples no âmbito pessoal, familiar, social e educacional.

É principalmente conduzido pela Internet e manifesta-se por três condições: o tempo e a intensidade dispensada nos jogos; a prioridade dada aos jogos acima de interesses e atividades diárias; a continuação deste hábito mesmo já sentindo as suas consequências negativas.

Segundo a OMS, a ICD é uma base para a identificação das principais tendências e estatísticas de doenças no contexto de saúde global, servindo como ferramenta que contribui para armazenar informação que possa ajudar na tomada de decisões, para compartilhar dados entre os diferentes países e para, dentro de cada região, seja possível verificar a evolução das doenças.

Em comunicado, o Dr. Tedros Adhanon Ghebreyesus, diretor-general da OMS, reforça a importância da ICD: “permite-nos compreender muito sobre o que faz pessoas adoecerem e morrerem, e para tomar medidas para evitar o sofrimento e salvar vidas”.

Para além dos distúrbios com jogos terem sido adicionados a esta listagem, esta versão da ICD reúne um novo capítulo dedicado à medicina tradicional e novas condições no âmbito da saúde sexual.

A 11ª edição foi publicada esta segunda-feira, 18 de junho, para que os Estados-Membros tenham tempo para se prepararem para sua implementação, entrando em vigor no dia 1 de janeiro de 2022.

Partilhar esta notícia
Referência