Observado mecanismo por trás da dilatação ventricular na esquizofreniaNotícias de Saúde

Sábado, 22 de Fevereiro de 2020 | 76 Visualizações

Fonte de imagem: Diario do Sudoeste

Investigadores do Hospital Pediátrico St. Jude, EUA, revelam mecanismo que explica a dilatação de ventrículos cerebrais em doentes com esquizofrenia.
 
Cerca de 80% dos doentes esquizofrénicos apresentam ventrículos cerebrais dilatados. A razão para este fenómeno foi agora descoberta e está associada a dois microARN.
 
Sabe-se que a eliminação de uma região do cromossoma 22 (síndrome de eliminação 22q11.2) aumenta o risco de esquizofrenia em humanos em cerca de 30 vezes. Estudos anteriores tinham já identificado a dilatação de ventrículos cerebrais em humanos e ratos com esta eliminação.
 
A esquizofrenia é poligénica, sendo que não é apenas um gene o responsável pelos sintomas. Um desses genes, o Dgcr8, encontra-se na parte do ADN que é eliminada na síndrome de eliminação 22q11.2 e tem um papel importante na sintetização de microARN’s.
 
Com recurso a ratos com modelos de esquizofrenia, os investigadores descobriram que a eliminação deste gene reduz dois microARN’s. Quando estes dois ARN’s são reduzidos, um recetor na superfície dos cílios móveis que revestem as paredes dos ventrículos aumenta.
 
Os resultados revelam que quando este mecanismo está ativo, os cílios móveis movem-se muito lentamente e os ventrículos dilatam. Quando os cientistas repunham os dois microARN, os cílios móveis e os ventrículos voltavam ao normal.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na revista “Nature Communications”

Notícias Relacionadas

Info-Saúde Relacionados