Observado mecanismo cerebral entre depressão e falta de apetiteNotícias de Saúde

Sexta, 13 de Setembro de 2019 | 23 Visualizações

Fonte de imagem: erermartchart

Na Qu e equipa, do Centro de Saúde Mental da China, descobriu a ligação neurológica entre a depressão e a falta de apetite.
 
Qu, psiquiatra, decidiu analisar se existia alguma base neurológica de associação entre a depressão e perturbações alimentares descritas pelos seus pacientes com depressão, como falta de apetite ou obesidade.
 
Foi descoberto que os neurónios POMC no hipotálamo, essenciais à regulação do peso e fome, estendem conexões físicas para outra região do cérebro com inúmeros neurónios de dopamina, envolvidos na regulação do humor.
 
“Sabemos que a diminuição da dopamina pode originar depressão”, explica Qu.
 
Foi ainda observado em ratos que, ao despoletar a depressão, os neurónios POMC eram ativados, inibindo os neurónios de dopamina.
 
Contudo, quando as conexões que ligam a zona reguladora de alimentação com a zona que regula o humor eram suprimidas, os ratos começavam a comer mais, ganhavam peso e pareciam menos deprimidos.
 
“A ativação por stress da região reguladora de alimentação leva a uma inibição dos neurónios produtores de dopamina”, revela Qu.
 
Contudo, este estudo apenas explica o lado da depressão que leva a que o doente perca o apetite, não se tendo ainda descoberto o mecanismo que leva algumas pessoas com depressão a comerem demasiado.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na “Molecular Psychiatry”

Notícias Relacionadas

Info-Saúde Relacionados