Obesidade no início da puberdade em rapazes duplica risco de asma nos filhosNotícias de Saúde

Sexta, 21 de Setembro de 2018 | 5 Visualizações

Fonte de imagem: Brunet

Os rapazes que ganhem peso de forma considerável entre a infância e a puberdade apresentam o dobro do risco de terem asma na idade adulta, o qual também se aplicará aos filhos que venham a ter, indicou um estudo.
 
O estudo europeu que incluiu investigadores do Centro para a Saúde Internacional da Universidade de Bergen, Noruega, indicou que o período dos oito anos de idade e a puberdade é particularmente importante para a saúde pulmonar futura.
 
Marianne Lønnebotn, primeira autora do estudo, especificou que “se se ganha Muito peso durante este período, duplica o risco de se ter asma mais tarde na vida, para ambos os sexos, mas nos rapazes o risco também duplica para os futuros filhos”.
 
Para o estudo, os investigadores analisaram dados de questionários efetuados a 3.018 filhos, com 18 a 50 anos de idade, e aos seus 2.153 pais, com 39 a 66 anos de idade que tinham participado num estudo geracional conhecido como RHINESSA/RHINE e que envolvia centros no Norte da Europa, Espanha e Austrália.
 
Além dos riscos mencionados, o estudo demonstrou ainda que o risco de asma não estava relacionado com o aumento do peso antes ou após a puberdade. 
 
Perante este achado, Cecilia Svanes, investigadora que liderou o estudo explica que “passa-se muita coisa no organismo entre a infância e a idade adulta. Todos os órgãos estão a desenvolver-se. Ter excesso de peso poderá conduzir a uma inflamação genérica no organismo, o que pode interferir com o desenvolvimento dos órgãos neste período”.
 
“Acho que o resultado relativamente aos futuros filhos de um rapaz, terá alguma coisa a ver com interromper a transformação de células germinativas em células de espermatozoides durante este período”, admitiu a especialista. Face ao aumento na Europa de crianças obesas no início da puberdade, Cecilia Svanes relembra que é importante que as crianças tenham uma alimentação saudável e que pratiquem mais atividades físicas.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo apresentado no Congresso de Pneumologia ERS 2018

Notícias Relacionadas

Info-Saúde Relacionados