O que nunca se deve fazer quando se tem um eczemaNotícias de Saúde

Segunda, 01 de Maio de 2017 | 1418 Visualizações

Fonte de imagem: Reader's Digest

O eczema é um problema cutâneo que pode afetar as pessoas em qualquer idade.

O eczema é uma inflamação aguda na pele que pode causar inchaço e vermelhão na zona afetada, provocando ainda comichão, dor e secura.

Este problema cutâneo afeta miúdos e graúdos, pode ter uma causa hereditária e carateriza-se por dois tipos distintos: o eczema atópico (o mais comum e associado a asma ou rinite alérgica) e o eczema por contacto alérgico (que surge quando o organismo é ‘agredido’ por um agente ao qual não consegue responder, como cremes, alimentos, etc.).

Além de ser importante procurar um médico para o devido diagnóstico do eczema e para saber qual o tratamento mais adequado, deve-se ainda evitar alguns hábitos mais ou menos comuns que agravam a condição e podem intensificar os sintomas.

Diz a revista Health que uma das coisas que não se deve fazer quando se tem um eczema é tomar um banho de emersão, especialmente se a zona afetada for grande ou ficar totalmente submersa, como acontece com as costas ou as pernas. O tipo de gel de banho a usar deve ser aconselhado pelo médico, sendo, por isso, também desaconselhado o uso de sabonetes, gel ou loções de banho que possuam perfumes ou sejam anti-bacterianas. Os produtos livres de fragrância são os mais indicados.

De acordo com a médica Whitney High, o uso de camisolas de lã é igualmente de evitar, uma vez que este tipo de tecido tem, por vezes, um efeito abrasivo, tal como acontece com algumas fibras sintéticas. O mais indicado é optar por tecidos de algodão que sejam suaves.

Para evitar um possível agravamento do eczema ou da alergia que o pode ter causado, deve-se parar também de usar detergentes e amaciadores de roupa perfumados, uma vez que tendem a conter um maior leque de químicos e aditivos que podem deixar a pele mais sensível e irritada.

Na presença de um eczema, e independentemente da zona do corpo que afeta, deve-se evitar ao máximo coçar ou estar em locais cujas temperaturas ora são demasiado quentes ou demasiado frias, pois podem causar uma maior sensibilidade.

Não aplicar o creme recomendado pelo médico dermatologista ou usar um outro creme qualquer é também um erro a evitar, assim como continuar a ingerir alimentos que podem agravar esta condição, como é o caso dos lacticínios quando se tem uma maior sensibilidade.

Uma vez que os problemas de pele andam de mão dada com o stress, deve-se ainda evitar ao máximo os momentos de tensão, ansiedade e nervosismo, conclui a especialista.

Partilhar esta notícia
Referência
Daniela Costa Teixeira

Info-Saúde Relacionados