O que muda na prática do yoga quando temos o período?Notícias de Saúde

Quarta, 27 de Maio de 2015 | 16 Visualizações

Quando há uns meses entrevistei Saraswati Jois, filha de Pathabbi Jois, para uma reportagem que saiu na Revista Máxima, esta ‘senhora do yoga’ foi bem clara. «As mulheres são diferentes dos homens, temos menstruação todos os meses e capacidade de engravidar. Por isso, é importante ter uma prática regular, mas é igualmente importante saber descansar», recomenda esta mãe de 2 filhos. E acrescenta, «especialmente se se tratar de uma mãe trabalhadora que ainda tenha de tomar conta da casa e da família. Nesses dias o marido deve ter mais iniciativa e ajudar em casa».

Deixo aqui algumas sugestões

1. A prática de Yoga Nidra, uma ferramenta universalmente conhecida como sono profundo, sem  imagens na mente.

2. A prática de Pranayama, muito subtil, com ciclos de ujjayi (que significa respiração vitoriosa) e respiração profunda.

3. Entoar simplesmente o mantra OM.

4. Meditar, conectando-se com a sua respiração.

Se sentir desequilíbrio emocional e necessitar de se mexer, a saudação à Lua é um ótimo exercício..

De facto, na Índia, de acordo com a tradição brahmane, as mulheres descansam nos dias de ciclo menstrual. São ajudadas pelas outras mulheres da família para que descanse e durma. O respeito pelo corpo feminino tem no Oriente uma atenção que nós, no Ocidente, tendemos a esquecer. A verdade é que o ciclo menstrual é muito delicado e pode ser afetado pelo stress, por alimentação pouco nutritiva, pelas viagens, pela falta de exercício ou exercício em demasia.

O primeiro passo é estar consciente do nosso ciclo, que reflete o estado da nossa saúde física e mental.

Praticar durante o nosso ciclo menstrual é sempre uma questão controversa.
É normal que os problemas adquiram maior intensidade nestes dias e, portanto, um excelente momento para os examinar e encontrar soluções. É um momento de consciência, de sensibilidade, de procurar encontrar o nosso lado feminino, de olhar para dentro..

As mulheres são todas diferentes e os ciclos menstruais também. Algumas preferem ignorá-los, desconectando-se da sua feminilidade. São normalmente mulheres competitivas, que pretendem mostrar um poder igual ao dos homens. Ter força é bom, mas devemos ouvir o nosso corpo, tratá-lo com respeito e acarinhá-lo, encontrar o equilíbrio entre o  lado feminino e o masculino que todas temos.  Tal como os homens.

Se a prática de asana deve ser interrompida, especialmente nos primeiros dois dias de menstruação, isso não significa que a nossa prática espiritual não continue. É, aliás, um momento ideal para outras práticas relaxantes.

No fundo, aproveite este período, conecte-se com o seu corpo, dê graças à mulher que é, sinta-a e mime-a. Estes dias do mês são muito especiais. Se pensarmos que o ciclo da mulher saudável é de 28 dias e que o da Lua, o Planeta feminino, é igual, tudo o que ficou aqui escrito faz ainda mais sentido. Somos natureza e iguais a ela. Somos, portanto, perfeição.

Partilhar esta notícia
Referência