O que é que os antioxidantes realmente fazem à saúde?Notícias de Saúde

Sexta, 03 de Fevereiro de 2017 | 16 Visualizações

Fonte de imagem: Vine Vera

São um dos nutrientes mais importantes para o organismo e dos que mais facilmente se encontram na alimentação.

Da fruta à cosmética, a palavra ‘antioxidantes’ é uma das mais faladas dos últimos tempos. Tal como o nome indica, os antioxidantes lutam contra a oxidação, mas de quê e como?

Como explica a médica e professora assistente de Nutrição na Universidade do Sul da Florida, Lauri Wright, “os antioxidantes são compostos encontrados em alimentos que impedem danos nas células”, ou seja, impedem que estas oxidem, envelheçam ou percam força.

Mas, o que fazem os antioxidantes na prática? Limpam. Este nutriente entra na corrente sanguínea depois de ser ingerido e é capaz de remover todos os radicais livres presentes no organismo e que colocam a saúde em risco. Esses radicais livres são compostos que se armazenam no organismo e que, em conjunto ou de forma isolada, danificam as células e até mesmo o ADN, podendo estar na origem de alguns tipos de cancro.

Contudo, esses radicais livres não nascem dentro do nosso corpo. Entram no organismo à boleia de fatores externos e que danificam a saúde, como o tabaco, a poluição e a má alimentação.

Onde podemos encontrar os antioxidantes?

Os alimentos que são ricos em vitamina A, vitamina C e vitamina E são excelentes fontes antioxidantes, assim como aqueles que incluem selénio, luteína e licopeno (composto presente no tomate, por exemplo).

Os alimentos ricos em betacaroteno também exercem uma ação antioxidante, assim como o café.

Tomate, cenoura, laranja, toranja, miritilo, morango, feijão, noz, maçã, brócolos, couve, espinafre, espargos, batata-doce, café, vinho tinto e chá verde e matcha são alguns dos alimentos com maior poder antioxidante.

Contudo, é importante salientar que o efeito benéfico dos antioxidantes é notório quando este componente é obtido através da alimentação. No que diz respeito à suplementação, essa pode trazer riscos desnecessários e apenas deve ser uma alternativa após o aconselhamento de um médico.

Partilhar esta notícia
Referência