O que comer para aliviar as cólicas menstruaisNotícias de Saúde

Segunda, 11 de Julho de 2016 | 427 Visualizações

Fonte de imagem: doutissima

Das mais suaves às mais penosas, as cólicas menstruais conseguem deixar qualquer mulher com os nervos em franja. Mas a alimentação pode ajudar.

Não há botijas de água quente ou massagens que resultem. Não há uma posição na cama que alivie ou um banho quente que relaxe. Muitas mulheres já passaram por dores intensas durante a menstruação, com cólicas agudas que as incapacitam de fazer as mais simples tarefas.

E se a solução estiver na alimentação? Esta é a ideia defendida por um artigo publicado no Buena Vida do El País, em que são revelados alguns segredos científicos acerca do impacto benéfico dos alimentos no alívio das cólicas menstruais,

Combinar vitamina D com cálcio é uma opção a ter em conta, sugere um estudo publicado em 2005 que concluiu que estes dois nutrientes são capazes de reduzir a probabilidade de uma mulher ter sintomas pré-menstruais. Um jantar leve à base de queijo fresco e salmão pode ser uma opção, mas existem outros alimentos ricos em cálcio e vitamina D.

O consumo de frutos secos (vitamina E) combinado, mais uma vez, com cálcio é outro truque científico para aliviar as dores menstruais. Os óleos vegetais, o abacate e os vegetais de folha verde são ricos em vitamina E e ótimas opções a ter em conta.

Dois complexos da vitamina B, B1 e B2, são também eficazes naquele momento difícil do mês e que as mulheres tanto odeiam. Segundo o El País, o leite de vaca ou de soja, a carne vermelha e os espinafres são sempre boas apostas.

Diz ainda a publicação que a ciência defende também a combinação de magnésiocom vitamina B6, algo que se consegue facilmente com a ingestão de banana, abacate, nozes, tofu e damasco. Por seu turno, um estudo da Universidade de Massachusetts defende, também, a ingestão diária de alimentos ricos em ferro, nutriente capaz de reduzir os sintomas em 20% e que é facilmente incluído na alimentação diária.

Partilhar esta notícia
Referência
POR DANIELA COSTA TEIXEIRA

Info-Saúde Relacionados