O parto e a prevenção da deficiência de ferro no bebéNotícias de Saúde

Terça, 06 de Maio de 2014 | 375 Visualizações

As atuais recomendações, baseadas em estudos de há mais de 30 décadas, sugerem que os recém-nascidos devem, imediatamente após o parto, ser segurados ao nível da placenta, de forma a permitir a passagem de sangue suficiente da placenta para o bebé. No entanto esta posição, para além de desconfortável para quem segura o bebé, impede o contacto imediato entre este e a mãe.

Estudos recentes sugerem que esperar cerca de dois minutos antes do corte do cordão umbilical pode reduzir a deficiência em ferro no bebé.

Os investigadores, liderados por Nestor Vain e equipa, decidiram avaliar se o facto de segurar nos recém-nascidos pela placenta, em vez de os colocarem imediatamente junto à mãe trazia de facto benefícios no que respeita à deficiência de ferro.

O estudo contou com a participação de três hospitais na Argentina. Os investigadores analisaram e compararam 197 bebés que foram segurados ao nível da placenta e 194 bebés que que foram colocados sobre a barriga da mãe imediatamente após o nascimento. Em todos os casos foi seguida a recomendação de aguardar 2 minutos antes de se cortar o cordão umbilical.

Foram recolhidos dados sobre o peso dos bebés na altura do nascimento, após o corte do cordão umbilical. Desta forma os investigadores puderam medir a quantidade de sangue que tinha passado da placenta para o bebé.

A equipa descobriu que não havia qualquer diferença estatisticamente significante, entre os dois grupos de bebés no que respeita à quantidade de sangue transferida do cordão umbilical para o bebé. Assim, o posicionamento do bebé sobre a barriga da mãe imediatamente após o nascimento do mesmo é muito mais vantajoso, já que é confortável e permite o contacto imediato entre a mãe e o bebé.

O autor principal do estudo, Nestor Vain, acrescenta ainda que “devido ao contacto mais próximo entre a mãe e o bebé, aumenta o sucesso da amamentação e o cumprimento do procedimento, pôr o bebé sobre a mãe imediatamente após o nascimento deve se fortemente recomendado”.

Partilhar esta notícia
Autor
Alert Science
Referência
Estudo publicado em “The Lancet”

Notícias Relacionadas