Número de internos aos quais pode ser atribuída uma bolsa pela FCT fixado em 30Notícias de Saúde

Quarta, 07 de Dezembro de 2016 | 15 Visualizações

Fonte de imagem: Washingtonian

O Governo fixou em 30, o número de médicos internos aos quais pode ser atribuída uma bolsa pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT). Num despacho publicado hoje, são também definidas as áreas prioritárias de formação, para efeitos de reconhecimento do estatuto de interno doutorando.

No diploma assinado pelos gabinetes dos ministros da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e da Saúde, são consideradas áreas prioritárias de doutoramento com base em investigação clínica as seguintes: Cirurgia plástica, estética e reconstrutiva; Cirurgia; Dermatologia; Doenças cardiovasculares; Doenças do foro mental;  Doenças infeciosas; Doenças oncológicas; Doenças respiratórias; Gastrenterologia; Genética Médica; Ginecologia/Obstetrícia; Hematologia; Medicina física e de reabilitação; Medicina geral e familiar; Neurociências; Oftalmologia; Radiodiagnóstico; Reumatologia; Saúde dos idosos; Saúde materna e infantil; Saúde pública e organização dos serviços de saúde; e problemas de saúde especialmente associados aos grupos mais vulneráveis da população portuguesa. 

Estas patologias e domínios da intervenção clínica podem abarcar cuidados desenvolvidos nos níveis ambulatório, domiciliário e hospitalar. 

O despacho pode ser consultado aqui

Partilhar esta notícia
Referência

Notícias Relacionadas