Nozes poderão baixar tensão arterial em pacientes em risco de doença cardíacaNotícias de Saúde

Segunda, 06 de Maio de 2019 | 11 Visualizações

Fonte de imagem: Harvard Health

Uma alimentação que inclua nozes, em combinação com poucas gorduras saturadas, poderá ajudar a baixar a tensão arterial em pessoas com risco de doenças cardiovasculares, atestou um estudo. 
 
“As nozes contêm ácido alfa-linoleico - ALA – um ómega-3 baseado em plantas que poderá afetar a tensão arterial de forma positiva”, avançou Alyssa Tindall, da Universidade Penn State, EUA, e investigadora no estudo. 
 
O estudo procurou determinar se o ALA nas nozes seria um fator contributivo importante para os benefícios cardiovasculares ou se seriam outros componentes, como os polifenóis. 
 
A equipa recrutou 45 indivíduos, com 30 a 65 anos de idade, e que tinham excesso de peso ou obesidade.
 
Duas semanas antes do início do estudo, todos os participantes receberam a mesma dieta para que iniciassem o estudo ao mesmo nível. Esta dieta pretendia simular uma dieta regular norte-americana, com 12% das calorias oriundas de gorduras saturadas. 
 
Após aquela dieta, os participantes receberam, de forma aleatória, uma das seguintes três dietas, que possuíam menos gordura saturada que a anterior: uma com nozes, outra que incluía a mesma quantidade de ALA e ácidos gordos polinsaturados sem nozes, e outra dieta que substituía parcialmente o ácido oleico (outro ácido gordo) pela mesma quantidade de ALA encontrado nas nozes, mas sem nozes.
 
As três dietas substituíam nozes ou óleos vegetais por 5% da gordura saturada da dieta seguida antes do estudo. Os participantes seguiram estas dietas durante seis semanas. 
 
Como resultado, embora os três tipos de dieta tivessem exercido resultados positivos sobre a saúde cardiovascular, a dieta com nozes foi a que demonstrou os maiores benefícios, incluindo uma tensão arterial diastólica central mais baixa. 
 
Os investigadores concluíram que é importante substituir as gorduras saturadas por alternativas mais saudáveis, como leite magro ou nozes em vez de leite gordo ou carne vermelha gorda.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na “Journal of the American Heart Association”

Notícias Relacionadas

Info-Saúde Relacionados