Novo teste epigenético deteta 100% de casos de cancro do colo do úteroNotícias de Saúde

Quinta, 20 de Dezembro de 2018 | 11 Visualizações

Fonte de imagem: Promega Corporation

Um novo teste desenvolvido para o rastreio do cancro do colo do útero revelou uma taxa de deteção de 100% de casos, até cinco anos antes de se desenvolverem, num ensaio clínico com milhares de mulheres.
 
Desenvolvido por investigadores liderados pela Universidade Queen Mary, Reino Unido, o novo teste, que se baseia no perfil epigenético, revelou assim um desempenho superior aos tradicionais exames de Papanicolau e HPV.
 
Segundo os investidores, em vez de analisar padrões de ADN no código genético que sejam indicadores do vírus HPV, este novo teste analisa marcadores químicos que ocorrem naturalmente além do ADN, perfazendo o seu “perfil epigenético”.
 
“Este é um enorme desenvolvimento. Não estamos apenas boquiabertos com o facto de este teste detetar o cancro do colo do útero tão bem, mas é a primeira vez que alguém provou o papel fundamental da epigenética no desenvolvimento de um cancro sólido importante, usando dados de pacientes”, disse Attila Lorincz, investigador que liderou o estudo. 
 
“São as alterações epigenéticas que este teste ao cancro do colo do útero deteta e é exatamente a razão pela qual funciona tão bem”, acrescentou o especialista que ajudou também a desenvolver o primeiro teste de HPV do mundo em 1988.
 
O exame de Papanicolau apenas deteta cerca de 50% de casos pré-cancerígenos do colo do útero. O exame de HPV é bastante mais eficaz, mas apenas verifica se as mulheres estão infetadas com o vírus, o qual pode causar cancro, mas ser, também, naturalmente erradicado do organismo. Este exame não deteta, portanto, o risco de cancro em si. 
 
O novo exame revelou, por sua vez, uma taxa de deteção de 100% de casos de oito tipos de cancro do colo do útero invasivo em 15.744 mulheres com 25 a 65 anos de idade no Canadá. O exame de Papanicolau apenas detetou 25% de todos os casos e o de HPV detetou 50%.
 
Num subgrupo de 257 mulheres com resultados positivos no HPV, o novo teste detetou 93% de lesões pré-cancerígenas nas mulheres; contudo, a combinação de exame de Papanicolau e HPV detetou 86% das lesões e o Papanicolau sozinho detetou apenas 61%. 

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na revista “International Journal of Cancer”