Novas microbactérias poderiam tratar cancro da bexigaNotícias de Saúde

Quinta, 08 de Outubro de 2015 | 27 Visualizações

Fonte de imagem: time

Um tipo de microbactérias é capaz de reduzir o crescimento das células tumorais da bexiga e ativar uma resposta imunológica.

As microbactérias são as únicas bactérias que se utilizam para o tratamento de cancro. No caso do cancro de bexiga superficial, é usada a microbactéria Mycobacterium bovis (BCG) depois da extração do tumor mas, apesar de evitar o aparecimento de novos tumores, este tratamento provoca numerosos efeitos adversos como infeções por BCG, que devem ser tratadas com fármacos contra a tuberculose.

A investigação, iniciada há sete anos pelo grupo de Investigação em Microbactérias dirigido por Esther Julián, do Departamento de Genética e Microbiologia da Universidade Autónoma de Barcelona, descobriu a capacidade anti tumoral da Mycobacterium brumae.

Como reporta o ABC, depois de terem estudado as características de um amplo grupo de microbactérias, os investigadores concluem que a M. brumae é capaz de reduzir o crescimento das células tumorais da bexiga e de ativar uma resposta imunológica.

Os estudos pré-clínicos levados a cabo em ratos modelo demonstraram a eficácia da microbactéria M. brumae no tratamento desta doença. Os ratos com tumor de bexiga que foram tratados com esta microbactéria sobrevivem mais tempo do que os não tratados e até do que os tratados com a microbactéria habitual, a BCG.

Além disso, os investigadores conseguiram demonstrar que esta microbactéria não tem risco de provocar infeções, portanto, tenderia a ter menos efeitos negativos nos pacientes do que os que a BCG atualmente representa. 

Partilhar esta notícia
Referência

Info-Saúde Relacionados