Nova técnica remove pedras nos rins numa só operaçãoNotícias de Saúde

Segunda, 17 de Março de 2014 | 392 Visualizações

Foi desenvolvido, no Reino Unido, um tratamento pioneiro que permite remover as pedras nos rins através de uma única intervenção cirúrgica. O procedimento, conhecido como ureteroscopia bilateral simultânea, permite visualizar, em ambos os rins, o posicionamento das pedras por meio de um uretroscópio e destruí-las com um laser.

Normalmente, os pacientes têm que passar por várias operações para remover as pedras nos rins. Agora, Bhaskar Somani, cirurgião urológico no Hospital Geral de Southampton, no Reino Unido, está a trabalhar nesta nova técnica que permite limpar os dois rins ao mesmo tempo.

"Em particular nos pacientes com infeções do trato urinário que têm pedras em ambos os rins é sensato tentar limpar tudo de uma vez pois não se consegue ter a certeza de que lado está a causar a infeção", explica, em comunicado, Bhaskar Somani.

As pedras nos rins, que afetam mais os homens do que as mulheres, desenvolvem-se quando os cristais de sal se acumulam em pedaços, parecidos com pedras, e que não são expulsos para fora do corpo. Estas podem levar a bloqueios no sistema urinário, causar infeções, dores fortes no abdómen e nas virilhas ou mesmo causar sépsis. 

“De acordo com as nossas investigações, as primeiras a ser publicadas e apresentadas no Reino Unido sobre este tema, esta é uma técnica segura e eficaz, com complicações menores, equivalentes a um procedimento normal, e pode vir a ser um tratamento comum”, acrescenta Somani.

O coordenador da investigação realizou 22 operações utilizando a técnica da uretroscopia bilateral simultânea para remover pedras de um tamanho combinado de 21 milímetros.

O método inovador obteve uma taxa de sucesso de 92% com os pacientes a sofrerem o mínimo de complicações. Para além disso, mais de três quartos dos pacientes foram para casa no mesmo dia da operação.

“Muitos cirurgiões podem ter receio de tentar ambos os rins devido ao risco e à preocupação de causar um trauma duplo aos órgãos, mas com a experiência certa e com confiança, os benefícios de um único procedimento superam os riscos de realizar mais do que uma operação”, conclui Bhaskar.

Partilhar esta notícia
Autor
Boas Notícias
Referência
cirurgião urológico no Hospital Geral de Southampton, no Reino Unido

Notícias Relacionadas