Nova análise ao sangue deteta cancro do pâncreas em estádio inicialNotícias de Saúde

Quarta, 19 de Setembro de 2018 | 25 Visualizações

Fonte de imagem: Everyday Health

Uma equipa de investigadores conseguiu desenvolver uma nova análise ao sangue capaz de detetar o cancro do pâncreas em estádios muitos iniciais.
 
É largamente sabido que o cancro do pâncreas é de deteção muito difícil durante os estádios em que pode ainda ser tratado. Apesar de perfazer menos de 3% de todos os casos de doenças oncológicas, o cancro de pâncreas mata mais doentes do que o cancro da mama pois atualmente só é normalmente detetado em estado muito avançado. 
 
A nova ferramenta de diagnóstico desenvolvida “consegue detetar o cancro do pâncreas com 96% de exatidão nos estádios I e II, quando ainda existe a possibilidade de uma intervenção cirúrgica bem-sucedida”, explicou Carl Borrebeack, docente no Departamento de Imunoterapia da Universidade de Lund, na Suécia, e que contribuiu para a elaboração da análise.
 
“Atualmente não existe cura e poucas opções de tratamento para o cancro do pâncreas avançado, que é o estádio tardio em que o cancro do pâncreas é normalmente diagnosticado”, acrescentou o investigador.
 
Para a construção da nova análise, os investigadores usaram amostras recolhidas de pacientes da Dinamarca e EUA em diferentes estádios da doença. 
 
A análise ao sangue foi desenvolvida com base numa chamada micromatriz (“microarray”) de anticorpos que consiste em centenas de fragmentos de anticorpos recombinantes. Estes fragmentos de anticorpos são específicos em certas proteínas imunorreguladoras, antígenos tumorais e outros. 
 
Como o sistema imunitário é o primeiro a responder a ameaças como doenças complexas, tal como cancro, doenças autoimunes e infeções, a micromatriz foi pensada de forma a refletir esta resposta inicial. Sendo assim, é possível detetar o desenvolvimento de tumores muito antes de serem detetáveis em tomografia computadorizada.
 
Das centenas de marcadores, foram selecionados 29 que detetaram o cancro do pâncreas nos estádios iniciais com os 96% de exatidão, como mencionado.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na revista “Journal of Clinical Oncology”

Notícias Relacionadas