Natalidade em queda e aumento de mortalidade fetal e pós-neonatalNotícias de Saúde

Sábado, 04 de Janeiro de 2014 | 120 Visualizações

A taxa de natalidade tem vindo a decrescer nos últimos quatro anos, enquanto a mortalidade fetal e pós-neonatal têm vindo a aumentar nos últimos dois, indica um estudo comparativo que teve por base o período compreendido entre 2009 e 2012.

O trabalho estatístico publicado pela Direção Geral da Saúde, ao qual a agência Lusa teve acesso, analisa a evolução da taxa de nascimentos e da mortalidade e evidencia um aumento da mortalidade fetal (antes do nascimento) em 2012 em comparação com 2011. 

No que diz respeito à mortalidade infantil em 2012, o documento refere que a taxa foi globalmente comparável a anos anteriores, ainda que tenham aumentado os casos de mortalidade fetal e pós-neonatal.

De acordo com a agência Lusa, na análise dos dados pôde constatar-se que houve um decréscimo de mortes fetais nos hospitais e um aumento nos domicílios. Houve menos mortes fetais nas regiões Norte e Lisboa, mas mais no Centro, Alentejo e Algarve. O mesmo estudo recomenda uma análise ao “preocupante” aumento da mortalidade fetal tardia.

O estudo refere ainda que em 2012 “houve aumento da taxa de mortalidade sem que tenha existido uma diferença global (com qualquer significado estatístico) na respetiva mortalidade infantil em comparação com o observado no ano anterior ou para 2009”. 

A mortalidade neonatal (crianças com menos de 28 dias) manteve-se idêntica a 2011, mas subiu em relação a 2010. Este tipo de mortalidade decresceu em 2012 nas regiões Norte e Lisboa (relativamente a 2009), mas subiu nas restantes regiões relativamente a 2010.

Verificou-se ainda um aumento da mortalidade pós-neonatal (crianças com mais de 28 dias e menos de um ano) no mesmo período de comparação, especialmente no Centro e Algarve (excetuando no Alentejo, onde diminuiu).

Resume o documento que em 2012 o número de nascimentos no Serviço Nacional de Saúde “diminuiu de forma significativa”, uma “tendência que se tem vindo a consolidar”, e aumentaram os nascimentos com pesos baixos (menos de 1500 gramas).

Partilhar esta notícia
Autor
Dgs / Alert
Referência
Dados da DGS relativos a 2009-2012