Não tomar pequeno-almoço duplica risco de ateroscleroseNotícias de Saúde

Sábado, 07 de Outubro de 2017 | 27 Visualizações

Fonte de imagem: Rembrandt Hotel Leiden

Não tomar o pequeno-almoço pode fazer aumentar o risco de endurecimento das artérias, ou aterosclerose, indicou um novo estudo. 
 
A aterosclerose consiste na acumulação de lípidos, juntamente com colesterol e outros resíduos celulares nas artérias, conduzindo a uma redução na elasticidade das artérias, o que pode causar problemas cardiovasculares.
 
O estudo conduzido por uma equipa de investigadores da Faculdade de Ciências e Diretrizes da Nutrição Friedman da Universidade Tufts, EUA, recrutou 4.052 homens e mulheres, sem doenças cardiovasculares ou renais. 
 
Os participantes responderam a um questionário computorizado que foi usado para calcular a alimentação habitual dos mesmos e os padrões de pequeno-almoço, com base na energia consumida a essa refeição.
 
Foram identificados três grupos: os que consumiam menos de 5% da energia diária total de manhã (só tomavam um café, sumo ou outra bebida não-alcoólica), os que consumiam entre 5% a 20% da energia diária total (consumidores de pequeno-almoço de poucas calorias) e os que consumiam mais de 20% da energia diária total (consumidores de pequeno almoço).
 
Os investigadores verificaram que 2,9% dos voluntários não tomavam o pequeno-almoço, 69,4% eram consumidores de pequeno-almoço de poucas calorias e 27,7% consumiam o pequeno-almoço.
 
Como resultado, a equipa apurou que a aterosclerose ocorria com mais frequência nos participantes que não tomavam o pequeno-almoço. A aterosclerose apresentava também mais incidência nos participantes que consumiam um pequeno-almoço de baixas calorias em relação aos consumidores de pequeno-almoço. 
 
Os marcadores de risco cardiometabólico eram também mais prevalentes nos participantes que não tomavam o pequeno-almoço e nos que consumiam um pequeno-almoço com pouca energia, em relação aos consumidores de pequeno-almoço. 
 
Finalmente, os participantes que não tomavam o pequeno-almoço apresentavam também os maiores índices de hipertensão, de circunferência abdominal, índice de massa corporal (IMC), de glicose em jejum e lípidos no sangue.
 
Os investigadores aperceberam-se ainda que os voluntários que não tomavam o pequeno-almoço apresentavam uma maior propensão para terem um estilo de vida menos saudável, como consumir mais álcool e tabaco e seguir uma alimentação pouco saudável.
 
Jose L. Peñalvo, um dos investigadores deste estudo, comentou que “aparte a associação direta com os fatores de risco cardiovasculares, não tomar o pequeno-almoço poderá servir como um marcador para uma dieta ou estilo de vida não saudável em geral, o que por sua vez está associado ao desenvolvimento e progressão da aterosclerose”. 

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na revista “Journal of the American College of Cardiology”

Info-Saúde Relacionados