Não quer sentir fome? Fuja destes alimentosNotícias de Saúde

Segunda, 01 de Fevereiro de 2016 | 199 Visualizações

Fonte de imagem: doutissima

Se alguns alimentos conseguem ter o ‘poder’ de prolongar a sensação de saciedade, outros apenas aumentam a vontade de comer. Saiba quais são.

Acaba de tomar o pequeno-almoço e passado pouco tempo começa a sentir fome? A barriga já ronca? Então é possível que tenha feito escolhas alimentares menos acertadas logo pela manhã.

Segundo a Time, que reuniu vários estudos e depoimentos de especialistas, existe um vasto leque de alimentos que fazem aumentar a sensação de fome. É o caso dossumos naturais que se compram já feitos (como é o caso de alguns smoothies).

Estas versões ‘saudáveis’ e industrializadas carecem dos valores verdadeiros de fibra dos frutos e vegetais, o que faz com que a sensação de saciedade seja menor. Quando o sumo é comprado (ou quando não se consegue aproveitar a polpa), o mais indicado é acrescentar alguma fonte de proteína, como o iogurte, diz a médica Rebecca Lewis.

E por falar em iogurtes, as versões ‘magras’ deste alimento também não são as mais indicadas para as pessoas que não pretendem sentir fome com regularidade, uma vez que são nutricionalmente mais fracas.

As claras de ovos são outro exemplo de um alimento altamente saudável mas que carece de micronutrientes (vitaminas e minerais) fundamentais para manter o organismo saciado, como indica um estudo publicado no American Journal of Clinical Nutrition.

Mas não são apenas os alimentos saudáveis que podem enganar o estômago. Também o consumo de açúcar está associado à vontade de comer mais… e pior. Os alimentos feitos à base de açúcar refinado ou adoçantes químicos são os que mais facilmente aumentam a sensação de fome, ao contrário dos açúcares naturais presentes em frutas.

Os cereais açucarados, as barras de cereais, o ketchup, os queques, os alimentosrefinados e os snacks salgados são outros exemplos de alimentos que, além de não fazerem bem, são altamente viciantes e fazem crescer a vontade de comer.

Partilhar esta notícia
Referência