Método mais sensível para medir a creatina no coraçãoNotícias de Saúde

Sábado, 18 de Janeiro de 2014 | 42 Visualizações

Um método aperfeiçoado de exame pode ajudar os médicos a detectar problemas cardíacos e tecidos danificados mais cedo e com mais precisão. Usando CEST-MRI (Chemical Exchange Saturation Transfer-Magnetic Resonance Imaging), as regiões dos níveis de creatina podem ser encontradas com precisão, reportam médicos dos EUA na revista científica "Nature Medicine".

O tecido cardíaco danificado já mostra quantidades significativamente mais baixas do metabólito creatina nos estágios bastante iniciais. Até hoje, isso foi examinado através de espectroscopia por ressonância magnética (MRS) que, no entanto, devido à baixa resolução, não proporcionava resultados muito precisos, de acordo com investigadores da Universidade da Pensilvânia na Filadélfia.

Os cientistas, dirigidos por Ravinder Reddy, examinaram o miocárdio saudável e infartado de animais de grande porte usando o método mais refinado, que não requer agentes radioativos ou de contraste. Ao fazê-lo, ficou evidente que as mudanças no nível de creatina e as regiões afetadas eram tão visíveis quando com o uso de MRS; mas a precisão dos resultados teve magnitude de mais duas ordens. Isso pode ajudar na visualização de pequenas áreas danificadas, esperam os autores.

O método não é para ser usado somente na doença cardíaca isquêmica, mas também na não isquêmica e nos distúrbios do cérebro, disseram os pesquisadores. Aqui, anomalias nos níveis de creatina também mudam, mas em níveis muito menores.

Partilhar esta notícia
Autor
revista científica "Nature Medicine" / Univadis
Referência
Investigadores da Universidade da Pensilvânia na Filadélfia.

Notícias Relacionadas