Menos períodos poderão aumentar possibilidade de demênciaNotícias de Saúde

Terça, 02 de Abril de 2019 | 12 Visualizações

Fonte de imagem: Alta Complexidade

As mulheres que têm menos períodos menstruais ao longo da vida poderão correr um maior risco de demência, indicou um novo estudo.
 
O estudo, que foi conduzido por uma equipa de investigadores liderada por Paola Gilsanz, da instituição de investigação Kaiser Permanente, em Oakland, EUA, contou com a análise de registos de 15.754 mulheres, os quais remontavam a 1964.
 
A equipa descobriu que, no ano de 2017, tinham sido diagnosticadas 42% das mulheres com demência, do grupo analisado. 
 
De forma geral, as mulheres que tinham começado a menstruação aos 16 anos de idade ou depois apresentavam uma possibilidade 23% mais elevada de demência em relação às que a tinham iniciado aos 13 anos (sendo esta a média de idades no grupo).
 
No que respeita à idade da menopausa, a possibilidade de demência era 19% mais elevada em mulheres que tinham passado naturalmente pela menopausa antes dos 47 anos (a média de idades no grupo) em comparação com as que tinham passado pela menopausa numa idade posterior.
 
Segundo a equipa, os achados estão de acordo com uma teoria que pressupõe que uma menor exposição à hormona estrogénio ao longo da vida poderá contribuir para a demência. Há estudos a  sugerirem que o estrogénio ajuda na resiliência e na reparação das células cerebrais, por exemplo.  
 
Os investigadores afirmaram não possuir informação sobre outros fatores que poderiam afetar a exposição das mulheres ao estrogénio, como gravidezes, pílula contracetiva ou terapia hormonal. Assim, não ficou clarificado se aqueles fatores poderiam estar relacionados com o risco de demência nas mulheres.
 
O presente estudo é observacional e estes achados não comprovam que o estrogénio ou a falta do mesmo desempenhem um papel no risco de demência.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na “Neurology”

Notícias Relacionadas