Medicação para aumento do volume da próstata atrasa deteção de cancro da próstataNotícias de Saúde

Quinta, 09 de Maio de 2019 | 10 Visualizações

Fonte de imagem: CNBC

Os homens que fazem tratamento para os sintomas de hiperplasia benigna da próstata (HBP) podem sofrer um atraso de dois anos no diagnóstico de cancro da próstata, indicou um estudo.
 
O estudo de investigadores da Faculdade de Medicina de San Diego da Universidade da Califórnia, indicou ainda que os homens que recebem fármacos para a HPB apresentavam uma propensão duas vezes maior de terem cancro da próstata em estado avançado quando detetado.
 
A HPB é uma doença não-cancerígena em que o aumento do volume da próstata comprime ou bloqueia a uretra, provocando sintomas urinários como dificuldades em urinar ou vontade constante de o fazer. Esta doença afeta mais de metade dos homens com mais de 50 anos de idade.
 
Para reduzir os efeitos da HPB, os homens fazem tratamento com inibidores da enzima 5-AR (alfa redutase).
 
Estudos anteriores tinham demonstrado que o tratamento com inibidores da enzima 5-podem causar uma redução de cerca de 50% nos índices do antigénio específico prostático (PSA, sigla em inglês), que é a proteína produzida pela glândula da próstata. Porém, o cancro da próstata pode causar um aumento nos níveis de PSA, que é precisamente a enzima verificada para o rastreio deste tipo de cancro.
 
Os investigadores analisaram dados de uma coorte de 80.875 homens que demonstraram que 29% de utilizadores de inibidores da enzima 5-AR tinham feito uma biópsia, no intervalo de dois anos, após o primeiro aumento dos níveis de PSA ajustados, em comparação com 59% dos não utilizadores.
 
Foi observado que 25% dos utilizadores de supressores da 5-AR foram diagnosticados com cancros de graus elevados (cancros que se espalham mais rapidamente e possuem um pior prognóstico), contra 17% dos não utilizadores de supressores de 5-AR.
 
“O nosso estudo demonstra a importância de consciencializar as equipas médicas e os pacientes para o facto de os inibidores da 5-AR poderem causar supressão da PSA”, concluiu Brent Rosa, autor sénior do estudo. 

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na revista “JAMA Internal Medicine”

Notícias Relacionadas

Info-Saúde Relacionados