Luvas com sensores para o ensino da medicina dentáriaNotícias de Saúde

Quinta, 30 de Maio de 2019 | 4 Visualizações

Fonte de imagem: Reader's Digest

O Instituto Superior de Engenharia de Coimbra (ISEC) vai desenvolver luvas com sensores de força para o ensino prático da medicina dentária na Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (UC).
 
Trata-se de um dos primeiros projetos da colaboração do ISEC com a UC, no âmbito de um protocolo entre as duas instituições.
 
"O protocolo vai permitir ao Laboratório de Biomecânica Aplicada do ISEC desenvolver, num patamar científico mais elevado, os projetos que tem em curso nas áreas das próteses ortopédicas e dos instrumentos com sensores para a área da reabilitação", disse o presidente do ISEC, Mário Velindro, citado numa nota enviada à agência Lusa.
 
O Laboratório de Biomecânica Aplicada do ISEC "tem-se afirmado como uma das unidades mais dinâmicas do ensino superior português a produzir equipamentos com potencial para serem utilizados nas licenciaturas, mestrados e doutoramentos em Medicina", frisa.
 
As próteses ortopédicas que "o ISEC tem concebido para a área da reabilitação - e que têm sido utilizadas por atletas paralímpicos, como o conimbricense Telmo Pinão para ganhar medalhas -, assim como os instrumentos com sensores para a área da reabilitação, também irão ter, a partir de agora, a possibilidade de serem desenvolvidos num novo patamar científico no âmbito do mesmo protocolo".
 
"Cada vez mais a tecnologia tem uma ligação direta a todas as áreas do conhecimento e isso é particularmente evidente na área da medicina", afirma Mário Velindro.
 
O responsável realça que, nos últimos anos, o ISEC tem apostado fortemente no desenvolvimento tecnológico na área da saúde, concebendo e desenvolvendo meios de diagnósticos "mais precisos e precoces e novos meios de apoio à terapêutica mais eficazes".
 
Segundo Mário Velindro, "com esta colaboração vai-se dar prioridade à área da saúde no ensino da engenharia".
 
"A Faculdade de Medicina é o parceiro ideal para nos aproximar das necessidades da sociedade nesta área, criando soluções tecnológicas que permitam facilitar o dia-a-dia dos doentes", sublinha.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo do Instituto Superior de Engenharia de Coimbra